Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Time of Eve

Mar 12 20

Escrito por Luis Nabais @ 20/03/12 19:03 | Sem Comentários »

Time of Eve

Time of Eve

Num futuro próximo, provavelmente no Japão, muito tempo depois dos robots terem sido introduzidos no dia a dia e não muito tempo depois dos robots estilo humanos, ou andróides, terem aparecido.

Devido ao Comité de Ética Robot as pessoas acham natural tratar os robots como electrodomésticos. No entanto e devido à sua aparência humana, excepção feita aos aros sobre as suas cabeças, alguns humanos (apelidados de dori-kei/android-style) estão a ficar demasiado atraídos aos androides causando problemas sociais.

Rikuo foi ensinado a tratar os androides da forma que trata desde criança. Ele não pensa nos androides como seres humanos e usa-os apenas como ferramentas. Um dia ele descobre que palavras estranhas apareceram no registo de actividade do seu robot de casa Sammy:

“Estás a gostar do tempo de EVE?”

Refazendo os passos dela com o seu amigo Masaki, ele chega a um estranho café com o slogan de não discriminar entre seres humanos e androides.

Time of Eve é uma série originalmente transmitida online nos idos de 2008 mas que foi posteriormente editada e exibida nos cinemas, conta-nos a historia de um potencial futuro próximo em que robots de aspecto humano são um facto da vida quotidiana e explora um cenário de discriminação quando dos seres humanos aos robots.

As expectativas são muitas e o universo parece promissor mas será que este filme tem os argumentos certos que me fizeram desfrutar do tempo que passei a vê-lo?

Time of Eve - Sammy

Sammy

Time of Eve abre em força com as 3 leis da robótica de Asimov a serem apresentadas logo nos primeiros 5 minutos do filme:

  1. Um robot não pode aleijar um ser humano ou, por inacção, permitir que um ser humano seja magoado.
  2. Um robot deve obedecer ás ordens que lhe forem dadas por um ser humano excepto quando essas ordens entram em conflicto com a primeira lei.
  3. Um robot deve proteger a sua própria existência desde que essa protecção não entre em conflicto com a primeira ou segunda regra.

Isto marca o ponto de partida para uma historia que vê o nosso personagem principal, Rikuo, ser confrontado com os diversos clientes do Time of EVE e os seus problemas enquanto que ao mesmo tempo vê o seu próprio preconceito para com os androides ser lentamente exorcizado. Esse quebrar do preconceito vai leva-lo a aproximar-se da sua própria android Sammy que apenas deseja que o seu dono desfrute do café que faz ou que volte a tocar piano. É uma historia simples sobre o dia a dia desta sociedade futurista claramente inspirada nos trabalhos de Asimov com tudo o que de bom que isso acarreta.

Em termos de arte e animação a qualidade dos cenários é digna de menção com bastante recurso a animação 3D de muitíssima qualidade e o design das personagens é sem sombra de duvidas muito agradável. Por vezes, no entanto, nota-se que a qualidade da animação está ligeiramente abaixo do que é normal num filme de animação mas isso não coloca em causa a qualidade global muito acima da normal numa qualquer série televisiva. Quanto à banda sonora raramente se nota cumprindo o seu papel sem nada de negativo a assinalar mas também sem grandes rasgos de genialidade.

Veredicto: Time of Eve proporcionou-me com um serão bem passado na sua companhia. Tem um universo promissor que só peca pelo âmbito tão curto do filme porém está recheado de charme e é fortemente indicado a qualquer fã de ficção cientifica ou pelo menos àquelas que unem essa paixão à paixão pela animação.

  • Imagem: 7/10
  • Som: 6/10
  • História: 6/10
  • Personagens: 7/10
  • Nota Final: 7/10

Time of Eve pode ser actualmente visualizado online em Portugal por cerca de 5€/mês através do serviço online Crunchyroll. Quando a edição em DVD/BR fora do japão nada se sabe ainda. Time of Eve @ TV Wall

pub: