Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Hachi Roku

Dez 09 26

Escrito por Luis Nabais @ 26/12/09 23:12 | 2 Comentários »

Hachi Roku

  • Microsoft Wireless Steering Wheel? Check!
  • Forza 3? Check!
  • Toyota AE86 Sprinter Trueno? Check!
  • Banda Sonora de Initial D? Check!
  • Fujimi Kaido (Tougue)? Check!

End Result: AWESOME DRIFTING! Ou no meu caso é mais awesome crashing mas ao menos consegui tirar aquela foto ali acima. Tudo isto para dizer que finalmente consegui arranjar um volante para aproveitar decentemente o Forza 3 mas já agora deixo aqui as minhas primeiras impressões sobre o Microsoft Wireless Steering Wheel.

Microsoft Wireless Steering Wheel

Microsoft Wireless Steering Wheel

Primeiro que tudo vamos tirar uma coisa do caminho: chama-se Wireless mas sem fios é apenas a ligação á consola (o que já não é mau) uma vez que a ligação do volante em si aos pedais é feita usando um cabo RJ-11 e ainda existe um transformador que é necessário caso se deseje usar o force feeback do volante (existe um compartimento para pilhas ou um battery pack da microsoft no entanto).

A primeira coisa que se nota ao abrir a caixa é o cuidado que foi tido em proteger correctamente o volante com bastante cartão a preencher os espaços vazios o que até dificultou um pouco a remover o bicho. Quando se tira o volante dos plásticos e cartão que o protegem e se coloca finalmente a mão no mesmo é que compreendemos para onde foram os 100€ que se pagam na factura: o volante é solido, muito mais do que o aspecto aparenta. Eu estava á espera que ele fosse leve, frágil e desse ares de brinquedo mas pelo contrario tem um feeling bastante robusto capaz de aturar os meus maus-tratos a tentar evitar os rails com o Trueno. Vou até dizer algo que pode ser considerado um sacrilégio mas achei que o G25 parecia menos solido da ultima vez que usei um porém como foi um modelo de exposição não tirem dai as vossas conclusões.

Mas vamos falar de coisas sérias começando pelas partes boas: O volante responde muito bem ao que eu lhe peço virando cerca de 280º (cerca de 140º para cada lado), a peça para prender à mesa é muito solida e assim que é adequadamente ajustada aguenta bastante bem os meus movimentos mais bruscos, a já acima mencionada boracha do volante faz um trabalho fantástico a impedir que o volante nos escape das mãos e acima de tudo o Force Feedback que é muito bom na minha opinião. Até agora ainda só experimentei a demo do Grid que vinha com o volante bem como o Forza 3 (ainda quero ir experimentar o Project Gotham Racing pelo menos) mas não sendo particularmente forte serve para transmitir o feeling do carro (se bem que um carro com direcção assistida) e os motores simplesmente não se ouvem.

Microsoft Racing Wheel Pedals

Microsoft Racing Wheel Pedals

Porém isto só custa 100€ logo nem tudo é um mar de rosas. Apesar de a qualidade de construção não ter nada a apontar e de ser perfeito para quem quer fazer umas corridinhas em algo que não um comando/teclado faltam coisas que eu gostaria de ter como uma maneta das mudanças por exemplo (dava jeito para servir de travão de mão). Outro senão é a posição das 4 teclas que, por estarem bastante perto do interior do volante tornam difícil a algumas pessoas chegarem a mais do que uma ou duas rapidamente. Tudo isto são pequenas coisas que não retiram nada á minha avaliação positiva do volante no entanto existe um outro pormenor que infelizmente já não é assim tão irrelevante. Os Paddle Shifters estão presos ao volante em si e não ao eixo o que faz com que rodem com o volante. À primeira vista pode não parecer algo de substancial mas por varias vezes fiquei perdido á procura do mesmo para reduzir uma mudança a meio de uma curva o que causa um pouco de habituação. Não é um factor decisivo mas é algo a ter em linha de conta.

Os pedais são competentes sem serem particularmente bons ou maus. Ao contrario do pedal da bateria do Guitar Hero não deslizam facilmente e os pés ficam facilmente na posição correcta graças ao buraco que têm para encostar os calcanhares (muito eficaz diga-se de passagem) porém são ambos muito leves o que já levou com que eu desse por mim a carregar inadvertidamente no travão ou a pensar que já tinha o acelerador a fundo quando ainda tinha muito espaço.

Em conclusão: o Microsoft Wireless Racing Wheel é um volante muito competente para quem quer um volante para a 360 mas considerando que é preciso gastar pelo menos mais 20€ para obter ligação com o PC e que não é suportado pelas PlayStation é apenas recomendado a quem já investiu na plataforma (como eu), para todos os outros ficam melhor servidos com um Driving Force GT que pode facilmente ser encontrado por 130€ ou menos ficando pelo mesmo preço deste com o adaptador para PC e com o bonus de ser compatível com as PS2 e 3 (e por trazer o GT5 Prologue para quem tem esta ultima).

pub: