Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Vim para Node.js (e mais)

Ago 11 21

Escrito por Luis Nabais @ 21/08/11 23:08 | 3 Comentários »

3. Vamos falar de letras

Um dos principais problemas com trabalhar durante largos períodos de tempo em frente a um monitor é que os olhos eventualmente começam a ficar cansados. Uma forma de minimizar esses efeitos alterar o tipos de letra utilizado para tentar reduzir ao mínimo o esforço que exigimos dos nossos olhos.

A maioria das pessoas ficam-se pelos tipos de letra que vêm pré-configurados o que habitualmente significa usar algo como Courier, Courier New no Windows ou a decididamente razoável Monaco no Mac OS-X mas existem muitas outras escolhas pelo que vale a pena pelo menos experimentar para ver se não ficam satisfeitos com outra. Desde os tipos mais pixelizados e como o Proggy ou o Terminus até outros mais modernos como o Consolas da Microsoft, o Anonymous Pro ou a minha escolha actual Inconsolata. Porém é bom não esquecer outras como a Droid Sans Mono do Android ou a Deja Vu Mono.

Brinquem um pouco com as fontes e os tamanhos para ver de qual gostam mais. A minha escolha pessoal recai na Inconsolata a tamanho 10 actualmente mas já passei muito tempo a usar a Terminus e conheço muita gente que gosta da Monaco. Tudo depende do gosto de cada um e da renderização do sistema operativo em questão pelo que a única forma de descobrir qual a melhor é mesmo experimentando.

Resolvida a questão dos tipos de letra vamos falar de cores ou mais concretamente de contraste.

4. Preto no branco não, o mundo é feito de vários tons

Há uns tempos atrás descobri através dos meus círculos sociais o projecto Solarized que procura disponibilizar um conjunto de cores cuidadosamente escolhidos para minimizar o cansaço inerente a olhar durante grandes períodos de tempo para um ecrã sem perder o tão importante contraste.

No site do projecto podem encontrar esquemas de cores para as mais distintas aplicações bem como a lista de cores para aplicarem ao vosso editor favorito.

Vamos então colocar o nosso gnome-terminal a usar as cores do Solarized (se não usam gnome-terminal saltem este passo e vejam no site do Solarized as instruções para o vosso terminal de eleição):

cd
git clone http://github.com/sigurdga/gnome-terminal-colors-solarized.git
cd gnome-terminal-colors-solarized
./install.sh

Sigam as instruções do ecrã para escolher o perfil a utilizar, se querem cores claras ou escuras e está feito, o vosso terminal deve estar agora a usar as novas cores. Simples e eficaz.

Agora chegou a hora de aplicar o esquema ao VIM bastando para isso instalar o plugin:

cd $HOME/.vim/bundle
git clone http://github.com/altercation/vim-colors-solarized.git

e depois adicionar as seguintes linhas ao ficheiro $HOME/.vimrc:

" Solarized
set t_Co=16
set background=dark
colorscheme solarized

Há uma nota importante a ter em conta aqui se utilizam gnome-terminal: definam a variável background conforme a vossa escolha no passo anterior (dark ou light) senão vão notar alguns problemas com as cores não só dentro do vim como no próprio terminal depois de saírem do programa.

5. Adeus e obrigado pelos peixes

E está tudo. Se seguiram estes passos todos podem agora de desfrutar de um terminal e um vim com cores mais agradáveis e aviso de erros de javascript. Tudo o que precisam para ser um programador produtivo em javascript.

Duvidas, criticas e sugestões serão como sempre bem vindas nos comentários, no Twitter ou no Facebook.

pub:

3 Comentários

  1. Miguel Duarte

    21 de Agosto de 2011 ás 23:40

    a utilizar Google Chrome 13.0.782.112 em Mac OS X 10.7.1

    Essa de trocar tabulações por 4 espaços é que me ficou atravessada. Porque raio preferes assim? Ao usares uma tabulação consegues “desfazer” uma indentação com o backspace, não tens que fazer 4 backspaces.

    • Luis Nabais

      21 de Agosto de 2011 ás 23:46

      a utilizar Mozilla Firefox 7.0 em Windows 7

      Epah honestamente concordo contigo: tens toda a razão e o carácter de tabulação teoricamente é melhor para o efeito (podes escolher quanto espaço queres, ocupa menos bytes, etc).

      Infelizmente parece que a facção dos espaços ganhou porque a maioria dos programas parece totalmente incapaz de lidar com o carácter de tabulação. Umas vezes é perdido na transição entre sistemas operativos, noutras é misturado com espaços de forma invisível, etc.

      Basicamente podes ver o que escrevi de uma de duas formas: “They are the borg and I’ve been assimilated” ou então uma tentativa de promover um padrão a que todos aderimos para o bem geral.

    • Luis Nabais

      22 de Agosto de 2011 ás 17:20

      a utilizar Mozilla Firefox 6.0 em Linux

      Ok, acabei de me lembrar que isso é um moot point.

      No vim se fizeres > > ele aumenta a indentação da linha, < < reduz.