Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Alterações climáticas

Jan 07 28

Escrito por Luis Nabais @ 28/01/07 15:01 | 9 Comentários »

Bem de acordo com os meios de comunicação e quase exactamente um ano depois volta a nevar em locais do país onde tal não era considerado “normal” como na região da Grande Lisboa. Se juntar-me este facto que se repete este ano ás secas dos últimos anos e ás enchentes que se verificam poderemos nós estar a presenciar finalmente efeitos do “aquecimento” global? Eu pessoalmente começo a temer que sim.

Sei que ainda sou jovem e que 19 anos são uma idade ainda tenra para poder afirmar isto com certeza mas a verdade é que nos últimos 5 anos sensivelmente ou eu comecei a prestar uma maior atenção ou então o clima do nosso país tem andado a sofrer alterações bruscas que eu pessoalmente não me recordo de presenciar muitas vezes.

Há varias teorias quanto ao aquecimento global: umas dizem que existe uma camada de ozono que se está a deteriorar devido ás emissões que enviamos para a atmosfera, defendem também que a emissões de CO2 causa dano nessa mesma camada também e no entanto há estudos efectuados nos gelos glaciares dos nossos pólos que demonstram que possivelmente o nosso planeta pode estar neste momento a sofrer o aquecimento normal depois de um período anormalmente frio que teve o seu pico no século XVIII. No entanto apenas temos registos de temperaturas pormenorizados e de forma cientifica sensivelmente desde o mesmo período o que não nos oferece termo de comparação com o que se passa actualmente.

Portanto a pergunta que tenho para vos colocar é a seguinte: o que é realmente o aquecimento global? Será apenas um mito que foi criado devido à nossa paranóia perante um acontecimento normal do nosso planeta? Será um problema real e com o qual nos temos que preocupar? Se sim estaremos nós hoje a sofrer já os primeiros efeitos desse aquecimento? O que acham?

Disclaimer: Todos os dados que mencionei foram mencionados de cabeça e podem estar errados, por favor tomem-nos apenas como a minha palavra não confirmada.

pub:

9 Comentários

  1. Margarida

    Penso que temos de nos preocupar já com isso, ninguem se parece preocupar mais com as gerações futuras, coisa que se dava muito em geografia. Não será mesmo paranóia, existem justificações para o que acontece. Já viste o filme Uma Verdade Inconveniente? É muito bacano e ali está um homem que se preocupa.

    Hoje e ontem tem estado um frio mesmo horrível, ontem levantei-me a tremer, não é normal 😐 e no verão uma pessoa até se sente mal com tanto calor. E lá se vai a Antartida e lá se vão as nossas terras junto ao mar engolidas pela água :/

  2. hugocardoso

    Eu sei é que está um frio do caraças! Mas fora isso, parece-me evidente que o Homem é o responsável… a evolução tecnológica nem sempre está de mãos dadas com o ambiente pelo que urge tomar medidas…enquanto há tempo!

  3. Marco

    Lá se vão os pinguins que vivem na Antárctida.

    Mas tens razão, e também podes falar dos incêndios que fizeram com que as águas das chuvas não ficassem “presas” nos montes o que leva a maiores inundações nas cidades a jusante dos montes, ou há falta de arvores para transformar o dióxido de carbono em oxigénio e assim baixar em parte o efeito estufa.

  4. PiP

    Senhor Dextro!:)

    Este é realmente um problema sério que todos parecem tentar esquecer porque… bem, porque é mesmo “Uma Verdade Inconveniente”! (muito bom, o filme!)

    Por acaso estou agora a ler “A Agonia da Terra”, do Hubert Reeves, que trata exactamente deste tema (se quiseres emprestado é só pedir!;)

    Aproveito para deixar um beijinho. Boas férias (:?:)

    Filipa (I hope you remember me!)

  5. Dextro

    A questão que eu coloco é: será mesmo um problema tão serio ou será apenas um exagero causado pelo nosso panico? É que estamos em panico com estas alterações, é um facto!

    Outro facto também é que andamos a exagerar nas emissões mas pensem: só temos dados acerca das temperaturas mundiais desde um ano que coincidiu com um minimo historico de temperaturas no nosso planeta, teremos assim tantos dados para dizer que estamos a sofrer um aquecimento global? Eu começo a ponderar se será assim tão certo o aquecimento global. (e o Al Gore é o Al Gore com toda a pouca credibilidade que daí advém 😆 )

  6. Dark-Templar

    Eles dizem que daqui a umas centenas de anos a Europa vai estar submersa devido à subida do nível das águas… boas notícias, pois ainda existe planeta terra nessa altura… e nós não estamos cá para nos preocuparmos com isso :|(e se não acontecer antes algo parecido com uma das hipóteses apresentadas naquele mini-filme da BBC, que incluía chuvas de meteoritos, epidemias mortais e etc…opá todos vamos morrer um dia, por isso…) .
    Em Santarém há uns meses, houve danos materiais graves provocados por um tornado pequeno…mas com força suficiente para arrancar telhas dos telhados…
    Isto está mau para todos, e é melhor o pessoal ir-se habituando à idéia de que o ano vai passar a ter duas estações, Inverno e Verão.

  7. Raquel Moniz

    Dextro… muito pertinentes as tuas questões. Mas respostas complicadas depois do almoço 🙁

    Aqui na minha terrinha temos as quatro estações num só dia! Uma maravilha.

  8. PiP

    Dextro, não tenho assim tanta certeza de que estejamos TODOS em pânico. Ainda há muita gente indiferente a este problema.

    Quanto à questão do exagero, deixo aqui uma transcrição do livro de que falei (A Agonia da Terra, Hubert Reeves com Frédéric Lenoir):

    «Frédéric Lenoir: A História está cheia de cassandras e de profetas da desgraça. Não receia ser comparado com esses anunciadores do apocalispse iminente? Os gritos de alarme lançados hoje por si e por outros nao serão apenas mais uma estrofe nesta longa litania? Estarão eles fundamentados em factos bem estabelecidos?

    Hubert Reeves: (…) O dever do cientista é julgar com espírito crítico a extensão das ameaças actuais e apresentar com a maior prudência os resultados, bem como os elementos de prova.
    Daremos muita atenção ao que se chama o “princípio de precaução”[1]. Com efeito, será preciso esperar pelas provas completas e irrefutáveis da existência dum perigo para que nos decidamos a tomá-lo a sério? Se você vir fumo na sua cozinha, claro que se alarma de imediato, antes de certificar-se de que há fogo…
    Incidentalmente, podemos verificar que as previsão alarmistas do passado, ainda quando elas se revelaram exageradas ou erróneas, desempenharam muitas vezes um papel útil. Os seus sinais de alarme contribuíram lergamente para reduzir a amplidão das catástrofes anuncidas(…)»

    [1] O “principio da precaução” definido (…) assim: “Quando há risco de perturbações graves ou irreversíveis, a ausência de certezas científicas absolutas não pode servir de pretexto para diferir a adopção de medidas”.

    Mais uma vez, recomendo este livro. Acho que temos de tomar uma atitude céptica quanto a certas coisas, para depois nos informarmos e concluirmos por nós próprios que posição tomar. Este livro é um dos elementos que ajuda qualquer pessoa a tomar uma posição.

    (Pensei vir a concluir que havia limite de caracteres para os comentários, mas se há, não consegui lá chegar! :P)