Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Arquivo para: Novembro, 2007

PHP e pesquisa

Nov 07 25

Escrito por Luis Nabais @ 25/11/07 16:11 | 11 Comentários »

Ok será que alguém me sabe ajudar a criar um motor de pesquisa para um website php?

Eu até consigo fazer alguma coisa mas de duas formas apenas:
1 – Com um index gigante impossível de criar pois atinge o limite do tempo de execução.
2 – Com a pesquisa FULLTEXT do MySQL que me está a dar voltas á cabeça porque não é assim muito versátil (palavras superiores a 3 caracteres, um index para titulo e conteúdo inseparável, etc…)

Comprem um PC agora

Nov 07 22

Escrito por Luis Nabais @ 22/11/07 22:11 | 15 Comentários »

Há uns tempos atrás fiz aqui um artigo que algumas pessoas gostaram bastante e que entitulei “Não comprem um PC agora”. Isso porém passou-se há mais de um ano e entretanto muita coisa mudou (como é normal neste mundo da informática) como tal venho hoje aqui dizer-vos que devem sim comprar um PC agora! Não é daqui a dois meses, não é daqui a seis mas sim agora.

Continuar a ler esta entrada >>

Só porque me anda a irritar

Nov 07 18

Escrito por Luis Nabais @ 18/11/07 20:11 | 8 Comentários »

…ver os ciclos for escritos com != pelo meu professor de IP fica aqui a forma mais simples de causar um erro a quem os usa assim:

for (int i = 0; i != valor; i++) {
   i = i + 2;
}

Agora o professor que resolva lá esta! (Se alguma vez ler isto, o que eu duvido)

PS: Sim eu sei que isto é código que nenhum programador alguma vez escreveria mas aposto que alunos de 1º ano o fazem de tempos a tempos.

Manifesto Ortográfico

Nov 07 15

Escrito por Luis Nabais @ 15/11/07 1:11 | 6 Comentários »

Nota: Ultimamente ando mesmo do contra…

Há 20 anos atrás que se discute entre os povos “irmãos” de Portugal e do Brasil o famoso acordo ortográfico que promete aplicar diversas alterações à nossa língua materna mas eu, como Português nascido e criado em Portugal, que leu autores como Camões, Pessoa, Gil Vicente ou Miguel Torga, não consigo sequer começar a aceitar tão afamado protocolo.

Não, ninguém me convence a mim que todos os autores nacionais que acima citei e mais outros tantos que certamente deixei de fora estavam errados na sua forma de escrever Português… Ninguém me convence a mim que “húmido” se escreve sem H… Ninguém me convence a mim que um povo separado do nosso durante 500 anos está mais próximo de escrever correctamente a “nossa” língua do que todos aqueles que no seu berço viveram e ao longo dos anos escreveram…

Caso o tal acordo venha a ser adoptado pelo triste exemplo de governantes que temos boicotarei pois claro as suas alterações e não alterarei uma letra à minha forma de escrever. Não sou nenhum mestre da escrita, dou até bastantes erros de ortografia mas ninguém me convence a mim que aquela língua usada no outro lado do atlântico está mais correcta do que aquela passada por gerações neste pedaço de terra do velho continente…

Sou Português, vivo em Portugal, falo e escrevo Português, a minha língua materna, parte da identidade cultural do meu país, parte da herança que os meus antepassados deixaram e parte daquilo que torna o meu país naquilo que é… Não sou Nacionalista, acho que poucas razões dou para que me apelidem como tal, não sou sequer muito picuinhas no que toca à língua que uso mas no que toca àquela ex-colónia do outro lado do Atlântico não nutro grandes simpatias e menos ainda no que toca ao suposto “Português” recheado de estrangeirismos e “incorrecções” que teimam em escrever e espalhar pelo mundo…

Não somos nós, velhos originários da língua, os principais responsáveis pela sua posição nas cinco mais faladas do mundo actual mas creio que deviamos ao menos ter o orgulho em ter sido o seu país mãe e não deviamos deixar que ninguém nos queira ensinar a escrevê-la!

E para terminar, nas palavras de Almada Negreiros: “Morra o Dantas, morra! Pim!”

Nova lei da Radio

Nov 07 13

Escrito por Luis Nabais @ 13/11/07 22:11 | 3 Comentários »

Dias depois de falar aqui sobre o Estado da Radio em Portugal venho a ouvir nas noticias que o parlamento aprovou recentemente uma nova lei sobre a Musica Portuguesa nas rádios nacionais numa atitude que não posso deixar de considerar assombrosa (para não usar outros adjectivos). Ao que parece as rádios nacionais vão ser obrigadas a cumprir quotas mínimas de musica portuguesa que podem atingir os 60% de ‘musica composta ou interpretada em língua portuguesa por cidadãos dos estados membros da União Europeia´ e acima disso ainda serão necessários ´35% de música cuja primeira edição fonográfica ou comunicação pública tenha sido efectuada nos últimos 12 meses´ (fonte da citação).

Ora isto é uma Alarvidade e não há qualquer outro nome que eu lhe possa dar… Rádios como a m80 (que eu até nem desgosto) ou até rádios como a Cidade FM cujos géneros musicas se resumem a musicas de estilos não presentes na União Europeia ou cuja objectivo é especificamente transmitir musica que não tenha sido produzida nos últimos 12 meses vão certamente ter dificuldades em cumprir com esta lei.

Não é que eu não goste particularmente de musica portuguesa, antes pelo contrario, mas este tipo de “protecção” da musica nacional não passa de uma atitude com tendências nacionalistas que atropelam a liberdade das empresas privadas de gerirem o seu negocio da forma que consideram mais adaptada ao seu publico-alvo. As leis devem existir para assegurar as liberdades de um individuo, não para as limitarem.

Eu posso não gostar de ouvir musica nacional e tenho o direito de assim o achar. Mais ainda, tenho o direito de que outros que concordem com a minha opinião assegurem uma emissão radiofónica que acarrete para gostos semelhantes aos meus… ou pelo menos é o que eu esperaria de um estado democrático e livre como teoricamente seria Portugal.

Não sou propriamente versado em Leis, admito até que fui ler a Constituição Portuguesa antes de escrever esta entrada e não posso dizer com certeza que isto viole quaisquer dos direitos presentes na mesma (não sei até que ponto o gosto musical pode ou não ser considerado uma forma de expressão) mas se o estado da radio nacional já era mau com os limites que tinham, então com a adição destas novas quotas absurdas só pode piorar porque vamos admitir: há boa musica nacional mas não é assim tanta para ocupar 60% da programação de rádios como a Antena 2 (por exemplo)…

Primeiro teste em C Sharp

Nov 07 10

Escrito por Luis Nabais @ 10/11/07 1:11 | 5 Comentários »

Ok tenho andado a explorar um pouco o C Sharp, mais nomeadamente o GTK Sharp e o Mono e até agora tenho gostado bastante da linguagem e como ando a mexer em Java na Universidade começa a pareçer-se como um caminho natural para mim (Porque continuo a não gostar de Java).

Tive alguns problemas com a documentação que é um pouco insuficiente mas finalmente acho que lhe “apanhei o jeito” e estou a começar finalmente a programar algo que já queria fazer há bastante tempo: uma base de dados (e eventualmente deckmacker) para Vampire: The Eternal Struggle.

Eu quero fazer este projecto não porque não hajam já alguns programas do genero mas porque os que existem são apenas para Windows e eu como linux user gostava de ter uma opção para o meu sistema operativo sem ter de recorrer ao Wine.

Como tal aqui fica o primeiro teste que fiz depois de umas horas á procura de como obter o item actualmente selecionado:

Bem e agora vou masé dormir porque amanhã há teste de Analise Matematica e quero tar fresco para a carnificina.

O estado da radio em Portugal

Nov 07 06

Escrito por Luis Nabais @ 06/11/07 11:11 | 3 Comentários »

Ontem estava eu á conversa com um amigo meu quando demos por nós a falar do estado da radio nacional e não demorou muito tempo até chegarmos á seguinte conclusão: a rádio em Portugal é uma porcaria com M maiúsculo*.

Hoje em dia mais de dois terços das rádios, sem exagero, passam exactamente a mesma musica: pop, hip-hop, pop-rock e tudo o mais que termine em “op”… Já para não falar no facto de possuirem playlists cujo tamanho não deve atingir sequer as duas dezenas de musicas uma vez que já não suporto ligar o radio para ouvir a frase “Take it easy” (por exemplo)…

Depois temos ainda o facto de que hoje em dia os locutores se limitam a passar a musica que lhes é indicada pelas chefias com uns intervalos pelo meio. Monotonia essa apenas quebrada pelos programas matinais ou pelas interrupções para o transito e as noticias… Mesmo nos programas matinais temos uma qualidade que poderíamos chamar de medíocre com locutores claramente irritantes (*coff*Best Rock*coff*), escolhas de musica francamente discutíveis (*coff*Antena 3*coff*) ou pura e simplesmente o aborrecimento de ouvir uma única pessoa a falar de assuntos que nem sempre são do mais interessante (*coff*Comercial*Coff*)… Não quero com isto dizer que não haja boa rádio em Portugal, tenho de tirar o chapéu á TSF pelo bom trabalho que continua a fazer e á Antena 3 pelas rubricas do Markl e afins que são bafos de ar fresco no espectro nacional no entanto isto são pequenos oásis no deserto que se tornou o FM…

Depois há os projectos “alternativos” como é o caso das rádios universitárias que por vezes se tornam de tal forma alternativos que dá vontade de alternar para outra estação (*coff*Rádio Zero @ ist*coff*)… É muito giro ter um servidor para passar aquela musica que se gosta mas se isso se reflectir em menos de 10 ouvintes acho que é claro que algo está mal… Não é que eu não goste de ouvir coisas como Jazz ou afins mas quando a qualidade das faixas escolhidas é claramente discutível mais valia ficarem quietos…

Mas em Portugal parece que se abandonou o rádio… Desde que dê o transito, as noticias e passe umas musicas porreiras enquanto se atura o caos do IC-19 está tudo bem para o ouvinte comum nacional. Porém não seria muito mais engraçado se existissem mais programas como o programa da manhã da Antena 3 (com a adenda de uma escolha musica decente). Programas como o velho Rock’em’Stock? Um pouco mais de participação dos ouvintes em programas como o Praça Publica… Não é que não existam mas os que existem são poucos e os seus assuntos cobrem poucas áreas de interesse da sociedade portuguesa. Falta um curto-circuito da rádio, falta um Howard Stern a causar polémica, falta algo que faça as pessoas chegarem no dia seguinte e dizerem “Ouviste ontem o programa X?”…

Era bom se a rádio em Portugal fosse revitalizada mas parece que isso não passa de apenas mais um sonho…

* não é um engano, eu disse mesmo M maiúsculo

Explicar permissões

Nov 07 04

Escrito por Luis Nabais @ 04/11/07 14:11 | 5 Comentários »

Isto hoje apareceu-me no leitor de feeds e era simplesmente inevitável a minha partilha disto aqui.

A seguinte citação mostra como são explicadas as permissões em Linux na wiki de uma certa empresa:

[email protected]:~$ mkdir base; cd base
[email protected]:~/base$ touch base{1,2,3,4}
[email protected]:~/base$ ls -l
total 0
-rw-r--r-- 1 aaron aaron 0 Nov 4 01:59 base1
-rw-r--r-- 1 aaron aaron 0 Nov 4 01:59 base2
-rw-r--r-- 1 aaron aaron 0 Nov 4 01:59 base3
-rw-r--r-- 1 aaron aaron 0 Nov 4 01:59 base4
[email protected]:~/base$ su -
Password:
[email protected]:~# useradd us
[email protected]:~# cd /home/aaron
[email protected]:/home/aaron# chown -R us.us base/
[email protected]:/home/aaron# ls -l base/
total 0
-rw-r--r-- 1 us us 0 Nov 4 01:59 base1
-rw-r--r-- 1 us us 0 Nov 4 01:59 base2
-rw-r--r-- 1 us us 0 Nov 4 01:59 base3
-rw-r--r-- 1 us us 0 Nov 4 01:59 base4

Aquele que não apanhar a piada não tem o direito de se chamar minimamente geek. :mrgreen:

Original: File Permissions Joke @ Aaron Toponce Blog

pub: