Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Arquivo para: Setembro, 2005

Anti-Spam

Set 05 23

Escrito por Luis Nabais @ 23/09/05 17:09 | 1 Comentário »

Caros inter nautas ocasionais e também para os demais deixo aqui as minhas boas vindas de volta ou pela primeira vez ao meu cantinho on-line. Mais uma vez interpelo-vos desta feita para falar do constante aumento dos riscos de segurança e mais concretamente de formas de combater o terrível Spam (e com uma extensão menor o E-Mail Phishing).

Ok passando á frente que estes preciosismos do Português são deveras ridículos vou então abordar algumas coisas simples que podemos fazer no dia a dia para impedir a disseminação do Spam (mensagens de correio electrónico não solicitadas) e, com mais urgência, do E-Mail Phishing (Envio de e-mails falsos, muitas vezes com aparências bem semelhantes aos de empresas reputadas como E-Bay, Citybank ou até mesmo o português Millennium BCP).

Continuar a ler esta entrada >>

Anime Dex

Set 05 23

Escrito por Luis Nabais @ 23/09/05 16:09 | Sem Comentários »

Mais um avatar feito aqui pelo Je, é a minha vocação hehe!

Anime Dex

Bloody Dex

Set 05 22

Escrito por Luis Nabais @ 22/09/05 19:09 | 1 Comentário »

Para começar a minha secção de imagens deixo uma das ultimas imagens que fiz, regra geral é este tipo de imagens que faço: simples avatares com o meu nome. Pessoalmente acho que este é possivelmente um dos melhores que já fiz, vejam por voçês proprios…

Bloody Dex
(Carrega na imagem para aumentar)

O Meu Photoblog

Set 05 22

Escrito por Luis Nabais @ 22/09/05 18:09 | 1 Comentário »

Mas de onde vem este fenomeno? Da mesma maneira que em tempos toda a santa “pita” teve de ter uma pagina ranhosa com algo estilo: “esta é a minha pagina, curto estes links” (sim porque são as “pitas” quem mais surge nos photoblogs) ou mesmo com os blogs que ultimamente se tornaram no maior cliché online agora toda a santa “miuda” tem de ter o seu photoblog com as fotos tiradas com o telemovel da moda sempre com a qualidade que estamos habituados quando uma camara se estraga. Imagens desfocadas, angulos pessimos, olhos vermelhos e todo o tipo de atentados as imagens apareçem nestes novos clichés da moda. E tudo isto porque? Porque é giro ter um sitio onde se coloca exposto ao mundo todo o tipo de imagens embaraçosas ou não e se espera toneladas de comentarios do tipo “está giro”. Toda esta moda é simplesmente deprimente.

Mas os photoblogs não são apenas deprimentes, também existem aqueles que realmente nos dão a conheçer autenticos mestres da fotografia. Porém esses não os encontramos no photoblog.de mas sim em sites como o deviantart.com que ha muito são porto de abrigo para artistas digitais. Sugiro vivamente uma visita a esse site.

Sim escrevi isto em 6 de Janeiro de 2005 mas não mudei de ideias no entanto podem estar a questionar-se sobre o significado da minha nova secção de imagens aqui no blog. Não ainda não sucumbi á moda mas a verdade é que tenho umas imagenzinhas para mostrar de tempos a tempos e achei bom mantê-las aparte aqui no site e tentar mostrar o pouco que vou fazendo no software de edição de imagem… Espero conseguir ficar no segundo grupo ao invés do primeiro daqueles descritos no meu post acima.

PS: Talvez esteja mesmo a aderir á moda tal como aderir aos blogs mas que fique bem marcado que aderi bastante tarde!

Regresso ás aulas

Set 05 17

Escrito por Luis Nabais @ 17/09/05 20:09 | 2 Comentários »

Estava eu a ler a revista Unica (parte do Expresso) da semana passada quando dei de caras com este texto do professor Nuno Crato. Texto que gostei bastante e que passo aqui a reproduzir:

Para os estudantes do ensino básico e secundário o ano lectivo inicia-se dentro de dias. Parece cedo para falar de estudos, de exames e resultados. Mas não é. E numa das disciplinas mais problemáticas – a Matemática! – começar bem é muito importante. Será que as opiniões de um professor de matemática interessam ao leitor? Pelo sim pelo não, aqui vão elas.
Comece-se por reconhecer que a matemática não é difícil. Para muitos estudantes é mesmo a mais fácil das disciplinas. Por uma razão simples: é bem delimitada e percebe-se bem o que se pede. Sabendo-o, têm-se bons resultados. Mas para a maioria dos jovens, a matemática provoca calafrios e lembra maus momentos. Desnecessariamente, pois com um pouco de método e de esforço, tudo se percebe.
O professor conta muito, claro. Um professor que trate a matéria por tu, que saiba explicar bem os conceitos fundamentais, que consiga perceber as dificuldades dos alunos e que esteja disponível para os ajudar… um professor assim é sempre uma ajuda preciosa. Mas os estudantes não se podem desculpar com o professor. Tampouco podem culpar a falta de motivação. Ou o facto de desconhecerem a utilidade do que estão a aprender. Os maus resultados derivam habitualmente de pouco trabalho e, sobretudo, de maus métodos de trabalho.
Para ter sucesso é preciso persistir. Como em tudo na vida. Mas em matemática é preciso trabalhar com uma grande regularidade, todos os dias ou quase todos os dias. Não é com noitadas que se consegue perceber matemática. É com cabeça fria. Uns minutos, ás vezes não muitos, ao longo de todo o ano, desde o principio das aulas.
A matemática tem uma característica que para muitos alunos é ruinosa, mas que não precisa de o ser. Nessa disciplina há precedências claras. Sem se saber o que é um losango não se pode calcular a sua área. Sem se saber o que é uma função não se pode saber o que é uma derivada. Sem se saber o que é um cone não se pode perceber como é a sua secção. E por aí adiante. Isso significa que não vale a pena tentar resolver exercícios de uma matéria sem perceber os fundamentos que a precedem.
A maioria dos estudantes, no entanto, procede ao contrário do que devia. Tenta «praticar», resolvendo exercícios antes de perceber exactamente o que os antecede. Quando não consegue resolver um problema, passa ao seguinte, pensando que talvez seja capaz de solucionar esse outro.
É preciso dizer-se que a mania de «praticar» resolvendo exercícios que não se percebem é uma mania prejudicial. Mais vale perceber bem um problema do que atacar mil que não se entendem. Os exercícios constituem habitualmente a parte final do estudo – ajudam a verificar se se percebeu ou não a matéria. Primeiro é preciso percebe-la. Nunca se deve desistir de tentar perceber.
É verdade, em matemática, tal como em muitas coisas na vida, um dos princípios mais importantes é não desistir. Nunca desistir! E como se faz isso? Faz-se com força de vontade e com trabalho, mas faz-se sobretudo com método. Tal como nas reparações domésticas ou nos trabalhos mecânicos «o material tem sempre razão». Ou seja, quando não se percebe uma coisa não vale a pena passar á frente pensando que se vai perceber a próxima. Quando não se entende, deve-se parar para tentar entender. Se mesmo assim não se percebe, volta-se atrás em vez de se fugir para a frente. E pede-se ajuda ao professor ou aos colegas.
Em matemática, começar bem é muito importante. Desde os primeiros dias de aulas!

in Expresso (revista Unica), 10 de Setembro de 2005

Farto

Set 05 16

Escrito por Luis Nabais @ 16/09/05 21:09 | 1 Comentário »

Estou farto! É apenas isto que tenho a dizer.

Estou farto de que? Ora estou farto de tudo! Estou farto daqueles que estão sempre a queixar-se da vida… estou farto daqueles que não acreditam no futuro… estou farto daqueles que se queixam dos seus próprios erros como se deles não tivessem culpa… estou farto da vida que algumas pessoas vivem esperando que tudo lhes caia no colo… estou farto das pessoas que nunca conseguem acabar aquilo que começam… estou farto daqueles que tendo tudo agem como se todos lhe devessem o mundo…

No fim de contas e analisando estou farto de tudo, especialmente de mim… Só não estou farto de ti!

Os velhos textos

Set 05 14

Escrito por Luis Nabais @ 14/09/05 18:09 | 3 Comentários »

Por vezes por muito que procuremos escrever temos sempre a sensação que é fútil repetir algo que aqueles velhos textos já disseram… Palavras não são imagens, têm um limite imposto pelos homens, não podemos meramente inventar uma palavra pois seria vazia e sem significado… Mas no fundo não o são todas? Uma palavra, um texto, uma composição não são nada mais do que a junção de letras numa forma que outros entendem, não podem jamais conter os sentimentos que o escritor procurava expressar na altura.

Escrevo isto hoje porque não estou bem: estou triste, estou deprimido, estou sufocado num mundo vazio onde estupidamente afasto quem tenta entrar e ao reler os meus velhos textos revejo-me de novo numa situação em que não quero estar. Desespero por alguém e começo a sentir que esse alguém nem tão pouco espera por mim e isso dói-me… dói-me muito…

Riam-se, ria-se o mundo do meu infortúnio ou da minha estupidez em ver um negativismo inexistente… Se calhar sou o único culpado da minha vida, se calhar todo o meu mau estar que demonstrei naqueles velhos textos é apenas fruto das minhas mãos ensanguentadas num sangue que não existe em sitio algum tirando a minha mente… Sufoco-me a mim e culpo os demais como qualquer bom ser humano e releio os velhos textos sem sentir forças para fazer os novos…

Boom

Set 05 12

Escrito por Luis Nabais @ 12/09/05 19:09 | 2 Comentários »

I’ve been walking through your streets,
Where all you money’s earning,
Where all your biulding’s crying,
And clueless neckties working,
Revolving fake lawn houses,
Housing all your fears,
Desensitized by tv,
Overbearing advertising,
God of consumerism,
And all your crooked pictures,
Looking good, mirrorism,
Filtering information,
For the public eye,
Designed for profiteering,
Your neighboor, what a guy.

Boom, boom, boom, boom,
Every time you drop the bomb,
You kill the God your child has born.
Boom, boom, boom, boom.

Modern globalization,
Coupled with condemnations,
Unnecessary death,
Matador corporations,
Puppeting your frustrations,
With the blinded flag,
Manufacturing consent
Is the name of the game,
The bottom line is money,
Nobody gives a fuck.
4000 hungry children die per hour,
From starvation,
While billions spent on bombs,
Create death showers.

Boom, boom, boom, boom,
Every time you drop the bomb,
You kill the God your child has born.
Boom, boom, boom, boom
Boom/boom/boom/boom/boom/boom/boom

Why, why, why, why must we kill, kill, kill, kill, our own, own, own, own kind…

Boom, boom, boom, boom,
Every time you drop the bomb,
You kill the God your child has born.
Boom, boom, boom, boom
Boom/boom/boom/boom/boom/boom/boom/boom
Every time you drop the bomb.

System of a Down – Boom

pub: