Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Arquivo para: Agosto, 2005

Perdido

Ago 05 30

Escrito por Luis Nabais @ 30/08/05 15:08 | 1 Comentário »

Estou perdido nestas linhas que tento passar para vocês. Não sei o que escrever, como o escrever nem quando o escrever. Sinto que a veia que bombeava em mim e que me compelia a escrever se fui e que o meu coração parou de bombear…

Estou perdido nestas palavras que tento dizer. Não sei quais escolher, como as ordenar nem quando as usar. Sinto que as cordas vocais que existiam em mim se foram e que a minha voz se silenciou num silêncio negro de quem já nada tem para dizer porque nada sente…

Perdido estou sem achar a estrada que procuro para um futuro que não desejo. De luz apagada caminho num pavimento de dor e magoa que no silêncio da noite se oculta. As brumas ao fundo ocultam o destino desta estrada e as escolhas são feitas sem perceber as consequências que delas vou sofrer… Podem ser correctas… Podem ser erradas… A verdade é que ninguém me pode dizer para onde vou e estou perdido querendo saber mas sem saber como e onde o procurar…

Estou perdido e só na escuridão desta estrada de sentimentos que jamais vou entender…

Outside

Ago 05 29

Escrito por Luis Nabais @ 29/08/05 22:08 | 1 Comentário »

And you
Can bring me to my knees
Again

All this times
That I could beg you please
May

All the times
That I felt insecure
For you

And I leave
My burdens at the door

But I’m on the outside
I’m looking in
I can see through you
See your true colors
Cause inside you’re ugly
You’re ugly like me
I can see through you
See to the real you

All this time
That I felt like this won’t end
Was for you

And I taste
What I could never have
It’s from you

All those times
That I tried
My intentions
Full of pride
And I waste
More time than anyone

But I’m on the outside
I’m looking in
I can see through you
See your true colors
Cause inside you’re ugly
You’re ugly like me
I can see through you
See to the real you

All the times
That I’ve cried
All that’s wasted
It’s all inside

And I feel
All this pain
Stuffed it down
It’s back again

And I lie
Here in bed
All alone
I can’t mend

And I feel
Tomorrow will be okay

But I’m on the outside
I’m looking in
I can see through you
See your true colors
Cause inside you’re ugly
You’re ugly like me
I can see through you
See to the real you

Staind – Outside

No início

Ago 05 08

Escrito por Luis Nabais @ 08/08/05 12:08 | 3 Comentários »

Finalmente consegui por isto online, não sei por quanto tempo vou conseguir aguentar isto mas espero que seja o suficiente para vos contar a verdade.

Para começar vou falar-vos do Matrix Revolutions.

Eu pessoalmente ainda não vi o filme mas acho que já descobri o final. Ha pois já!!! Mas se pensam que vos vou contar o que descobri estão muito…

…certos 😛

Eu soube de fonte segura que no fim do filme o personagem principal Neo acorda num bar gay com a Triniti deitada ao lado dele com um “strap on dildo”, com uma enorme resaca da porcaria dos comprimidos vermelhos e com uma dor no “back end” que ele nem sabe de onde vem.

Eu realmente acho este final genial, é pena eu ainda não ter visto o filme mas o ministro iraquiano da informação é que me disse isto noutro dia quando o encontrei no café ali para os lados da praça do comercio.

Bem ele também me contou as maluqueiras que ele o o George Bush tiveram na mansão da playboy mas eu conto-vos isso noutra altura, agora tenho de despistar o homenzinho de azul. Não sei porque raios ele me está sempre a seguir.

Começei a escrever com este post no dia 9 de Novembro de 2003 na infame Dextro’s Homepage acompanhado dos meus colegas Death_Ripper, Molho_Suave, Bibas, Lancelot e por fim Etset. Grande parodia durante um ano mais ou menos mas acabou, agora tou diferente não acham? 🙂

O amor é

Ago 05 07

Escrito por Luis Nabais @ 07/08/05 3:08 | 1 Comentário »

Um pequeno poema que o meu amigo Lethal K9 me indicou:

“O amor não é algo que te faz sair do chão e te transporta para
Lugares que nunca viste.
O nome disso é avião.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que escondes dentro de ti e não mostras para
ninguém.
Isso se chama vibrador tailandês de três velocidades.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que te faz perder a respiração e a fala.
O nome disso é bronquite asmática.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que chega de repente e te transforma em refém.
Isso se chama sequestrador.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que voa alto no céu e deixa a sua marca por onde
passa.
Isso se chama pombo com caganeira.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que tu podes prender ou botar para fora de
casa quando bem entendes.
Isso se chama cachorro.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que lançou uma luz sobre ti, te levou para ver
estrelas e te trouxe de volta com algo dele dentro de ti.
Isso se chama alienígena.
O amor é outra coisa.

O amor não é uma coisa que desapareceu e que, se encontrado, poderia
mudar o que está diante de ti.
Isso se chama controle remoto de TV.
O amor é outra coisa.

O amor é simplesmente… o amor.”

Fonte: http://forum.aviacao.net/viewtopic.php?t=5533

Quebra-Cabeças

Ago 05 04

Escrito por Luis Nabais @ 04/08/05 23:08 | 4 Comentários »

Esta frase veio-me á mente ao falar com algumas pessoas que me são chegadas e achei que é um optimo quebra-cabeças por isso vou deixa-la aqui:

“Eu nunca te menti no entanto se alguma vez o fiz quem me impede de mentir ao dizer que não te minto?”

E esta frase meus amigos é suficiente para deixar qualquer pessoa com a mente inquieta 😉

Sem Vontade

Ago 05 03

Escrito por Luis Nabais @ 03/08/05 22:08 | 4 Comentários »

Tenho vontade de escrever mas quando tento não sai nada…
Tenho vontade de ler mas não leio mais que duas linhas…
Tenho vontade de jogar mas não jogo mais que dois minutos…
Tenho vontade de sair mas não consigo passar da porta…
Tenho vontade de dormir mas não tenho sono…
Tenho vontade de ficar em pé mas não consigo ficar acordado…
Tenho vontade de ouvir musica mas não consigo escolher uma canção…
Tenho vontade de ver televisão mas não consigo escolher um canal…
Tenho vontade de ouvir mas não consigo prestar atenção…
Tenho vontade de falar mas não me saem as palavras…
Tenho vontade de fazer tudo e não consigo acabar nada…

Ilusões

Ago 05 02

Escrito por Luis Nabais @ 02/08/05 19:08 | Sem Comentários »

A vida é feita de ilusões… Esta é uma das frases mais antigas e mais batidas mas o que faz a vida uma grande ilusão? O que somos nós? Será que a vida que vivemos é apenas a vida que queremos viver ou será que vivemos a vida que os outros forjam para nós? Será que controlamos o nosso destino ou será que ele nos controla a nós?

Acreditamos naquilo que queremos acreditar e vemos aquilo que queremos ver e por vezes dói quando a crua e dura realidade nos rebenta na cara. Quando descobrimos que acreditamos numa mentira, que vimos uma realidade que só existia na nossa mente… Mas não é essa realidade que temos dentro de nós a única que conhecemos? Não é essa dor causada por um acordar na realidade a dor causada pela destruição da nossa ilusão que é tão real como qualquer “realidade”.

A nossa realidade é nossa e apenas nossa, estamos em controlo dela e se ela se desfaz é porque a levamos por caminhos errados. E é essa uma lição que aprendi: enquanto continuarmos a olhar o lado negativo na vida, a pensar naquilo que pode correr mal e naquilo que vai falhar vamos sempre ficar deprimidos e abatidos porque nunca vamos dar atenção ao céu azul de um dia de verão porque vamos estar atentos ao miúdo que pede um gelado a altos berros ou o escaldão que apanhamos numa manhã de praia…

Mas se a realidade é apenas nossa como pode ser destruída por “verdades”? Talvez porque exista uma outra realidade que ninguém pode algum dia conhecer, completamente independente da entidade que é a mente humana e que é directamente influenciada pelos actos desta gerando consequências que afectam outras realidades de outras mentes… No fundo o que é a realidade? Será que ela existe mesmo ou será que não passa da nossa visão do mundo? Mas existindo um mundo não existira essa tal realidade?

Esta pergunta talvez fique para sempre na mente dos homens pois ao contrario dos animais somos capazes de nós interrogar e é esse interrogar que nos leva num caminho que culmina nas invenções do futuro.

pub: