Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Arquivo para: Junho, 2005

Exames

Jun 05 26

Escrito por Luis Nabais @ 26/06/05 0:06 | Sem Comentários »

E estamos na epoca de exames meus amigos e este ano é a palhaçada total…

…para variar.

Este ano que finalmente se ia condensar todos os exames em apenas 2 fases (sem segundas chamadas) e num periodo de tempo mais reduzido para evitar que alguns pobres coitados perdessem praticamente 3 meses de aulas um sindicato dos professores que, como convem ao bom português só pensa no seu umbigo, decide marcar uma greve precisamente para esta altura tão complexa.

Isto mais uma vez meus amigos é a fantochada no sistema português de ensino… Já não bastaram as belas colocações de professores ainda se marcam greves para uma altura em que se decidem os futuros de MILHARES de alunos no país…

Não é que discorde das razões da greve, de facto até não podia estar mais de acordo, no entanto sou aluno e SEI que preciso de um bom exame não só para transitar o 12º ano como também para entrar numa boa univesidade que me garanta um futuro minimamente decente e possivelmente longe deste país de brincadeira…

Quanto á atitude do governo não posso deixar de concordar por muito descontente que esteja com estes senhores que nada vêm a acrescenter ao cinismo e hipocrisia dos seus antecessores. Vejamos: se para se realizarem exames são necessarios 2 professores por sala e é necessario haver professores para o secretariado de exames onde é que os professores podem faltar para fazer greve?? Em absolutamente parte alguma porque nesta altura do ano esta é a sua unica função!

Eu até sugeria uma solução: greve de zelo! Entrem nas salas e ignorem o que se passa nestas e não cumpram o que o vosso posto vos pede caros professores. Esta forma certamente seria a melhor da minha posição de aluno.

Mas vamos tirar uma coisa a limpo: NUNCA COPIEI NA MINHA VIDA e garanto-vos que as oportunidades nunca faltaram… Desde a professora de Francês dos 7º/8º/9º que chegava ao absurdo de deixar estar tudo junto numa mesa durante uma prova global a ouvir o relato do jogo da selecção até á professora de Matemática cujo ano não menciono (para já) e que chega ao absurdo de fazer perguntas de 2+2… Já tive hipoteses suficientes no entanto nunca as usei e agora, em altura de exames, estou pronto para os acabar de forma limpa e justa mesmo que isso me custe o meu ano…

…só espero que os professores me deixem.

Perfect society

Jun 05 12

Escrito por Luis Nabais @ 12/06/05 23:06 | Sem Comentários »

Ha uns tempos um amigo meu indicou-me este blog: Alea Jacta Est, onde constava o modelo dessa pessoa de sociedade perfeita.

Ora pois bem tive a pensar e se bem que não concordo que seja o método a seguir tenho de admitir que o estilo de sociedade repressiva que ele sugeria é eficaz e por isso mesmo pensei em tentar eu também pensar numa. Devo desde já avisar que já não me recordo bem do que li porque já se passou algum tempo e não reli para não ficar mais influenciado. No entanto as semelhanças são inevitáveis infelizmente.

Cheguei então a estas conclusões: Antes de mais nada para criar uma sociedade perfeita é necessário remover todos e quaisquer razões para conflito e para assegurar isto é necessário tratar todos por igual. Para assegurar tal tratamento todas as pessoas devem entregar tudo o que têm ao estado que por sua vez fornecerá a todos EXACTAMENTE as mesmas regalias e deveres equivalentes.

Ora mas para criar tal igualdade as cidades actuais não servem pelo que teremos de as destruir até á mais ínfima construção humana para as reconstruir de novo com edifícios de dormida, edifícios de alimentação, locais de produção, etc… Obviamente que toda a arte quer seja pintura, musica, escultura ou qualquer outra será destruída e banida uma vez que promovem a individualidade e a liberdade de pensamento, algo que terá de ser banido para evitar conflitos.

Como forma de assegurar que ninguém tem ideias todos terão de se submeter a drogas inibidoras no início administradas por uma força pessoal feita a partir dos mais fiéis e fanáticos á causa, escolhidos pessoalmente pelo líder. Estes constituíram também a guarda pessoal do líder que certamente seria necessária nos primeiros tempos até todo o pensamento livre ser eliminado.

Para assegurar que cada um contribui ao máximo para a sociedade serão criados laboratórios onde o ADN de cada individuo é analisado e é comparado com as mais brilhantes mentes nas suas áreas para verificar qual a sua apetência. As pessoas são geneticamente catalogadas e criar-se-ão em laboratório crianças com a junção dos melhores códigos genéticos para assegurar uma constante melhoria da espécie.

Toda e qualquer relação entre indivíduos está limitada ao necessário para a produção benéfica para a sociedade. Amor, casamento, amizade, ódio… tudo tem de ser inibido pelas drogas e pela lavagem mental efectuada desde a infância. A infância seria passada em instituições de processamento que preparam cada criança para a sua profissão futura e para servir a sociedade sem efectuar perguntas. Assim que atingissem a puberdade eram recolhidas amostras do seu esperma ou óvulos para serem usados no processo de reprodução. E posteriormente á colecta seriam tornados estéreis para evitar qualquer reprodução não autorizada.

Sempre que alguém se tornasse inútil para a sociedade quer devido á idade quer devido a um acidente ou deficiência seria terminado caso não se encontrasse uma posição alternativa. Se todos os sentimentos são banidos não se poderia mostrar compaixão.

Se formos a ver bem ainda havia muito mais que se poderia analisar e definir para esta “sociedade perfeita”. Na realidade basta olhar para as abelhas e formigas para ver exemplos de sociedades praticamente perfeitas. No entanto isto só seria atingível negando aquilo que nos faz humanos: a nossa capacidade de pensamento, a nossa criatividade, os nossos sentimentos. É precisamente por isto que creio que esta via, por mais eficaz que seja, não é viável.

Psychotic

Jun 05 10

Escrito por Luis Nabais @ 10/06/05 13:06 | Sem Comentários »

When all love is gone all that’s left is pain and rage!

You think it’s because of you? I don’t care jack about what you fell, it’s not worth it!

Now you’re felling sick? Good luck then!

Why didn’t I wish you well you ask?

Because I don’t wish that maybe… It didn’t pop into my mind.

“Don’t worry” you say but I do worry… I care about all the evil and bad feelings in the world now. There’s nothing left for me to care about…

And as long as everyone else is unhappy I’ll be unhappily happy. The pain of others helps me endure my own. Their bliss reminds of the lack of my own and so I must destroy it like mine was…

My hearth is broken, my joy is gone… All that was is in chaos and my mind is now gone in the winds of discontent and I’m free… Free to be bad, free to be evil, free to unleash pain and hell to all those who do not know it!

From my pain others shall suffer but the first will be the one who caused it: YOU!

You though we could be friends. How cute. How evil of you! Taking it all away like I was a mere baby, like I had no felling whatsoever! I’ve had it! Don’t toy with me anymore!

It’s not just you, when you see your family collapse you can’t possibly stay the same. All I had left in my heart is gone. No more pain cause I have no more cares, no more love… All that’s left is rage and anger!

PS: Exposição prolongada e continua á dor pode causar efeitos secundarios!

pub: