Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Tag: fps

O meu top de jogos 2011

Dez 11 27

Escrito por Luis Nabais @ 27/12/11 22:12 | 2 Comentários »

Agora que estamos na ultima semana do ano e que as promoções natalícias estão aí a dar-nos cabo da carteira achei que seria uma boa altura para olhar para trás e escolher aqueles que foram os jogos que mais gosto me deram jogar e que saíram este ano.

Infelizmente não me foi possível jogar tudo o que queria este ano e de foram tiveram de ficar candidatos inquestionáveis como Deus Ex, Uncharted 3 ou Skyrim mas o tempo e o dinheiro são finitos infelizmente e há que fazer a festa com o que se tem.

Tirando esse pequeno problema vamos lá ver a lista que mesmo assim não deixa de ser relativamente catita (na minha modesta opinião).

Continuar a ler esta entrada >>

Para sempre “Forever”

Set 10 03

Escrito por Luis Nabais @ 03/09/10 23:09 | 2 Comentários »

Tinha eu sensivelmente 11 anos quando dois colegas meus, gémeos por sinal, trouxeram para as aulas de “informática” que tínhamos no final do dia no ATL um jogo que marcou a historia dos videojogos. O jogo era o Duke Nukem 3D e realmente tenho de admitir que éramos um bocadinho novos demais para ele. Felizmente isso significou que não apanhei a maioria das piadas até uns anos mais tarde, o que é algo bastante positivo dado o conteúdo para a altura pornográfico deste mítico pedaço de software.

Mas porque é que relembrei esta historia hoje? Pois bem porque hoje, 12 anos depois do seu anuncio inicial em 1998, a eterna anedota o jogo que parecia finalmente morto e enterrado aquando da falência do mítico estúdio responsável pelo Mr. Testosterona desde o inicio dos tempos, a 3D Realms, foi dado como vivo num anuncio pela editora 2K games durante a Penny Arcade Expo.

O jogo está agora a cargo do estúdio Gearbox, famoso por títulos como Brothers in Arms, Half-Life: Oposing Force/Blue Shift ou Borderlands, e tem data marcada para algures durante o próximo ano de 2011. Como podem calcular o estúdio não quer dar uma data concreta dado o assombrado historial deste jogo tantas vezes adiado mas uma coisa é certa: deste vez os jornalistas já conseguiram jogar efectivamente partes do jogo e, como esperado, não é nem de longe o melhor jogo do mundo mas é aparentemente competente e só na versão final se poderá tirar um veredicto final. Porém estamos a falar de um estúdio com bastante mais provas dadas do que o anterior pelo que menos não se podia esperar, só resta saber se o estilo machista e cheio de queijo do Duke continua a fazer sentido nos dias de hoje.

It’s time to kick ass and chew bubble gum, and I’m all out of gum…

Nota á Beteshda

Set 09 04

Escrito por Luis Nabais @ 04/09/09 3:09 | Sem Comentários »

Não, não é uma boa ideia misturar combate por turnos com tempo real. Não, não é preciso usar o vats para matar o raio dos inimigos e demora exactamente o mesmo tempo se eu me limitar a correr em círculos enquanto vou calmamente disparando balas contra o inimigo. Não, eu não ganho nada em usar a porcaria do botão do “vats” sem ser para descansar um bocado por estar farto de correr em círculos. E não, pela ultima vez o Fallout 3 não é digno de ter Fallout no nome e nem sequer é um jogo ao nivel dos seus antecessores. É um mau Action RPG ao estilo que a Beteshda já nos habituou e o facto de terem metido Fallout no nome e pintarem o mapa do Oblivion de “poop brown” só o coloca ao nivel do Fallout: Brotherhood of Steel. E termino esta minha rant com este insulto, já desci baixo o suficiente.

Resumindo: Misturar combate em tempo real com combate por turnos num RPG torna-o num FPS com botão de pausa e é tão útil como dividir por zero!

PS: E a view em 3ª pessoa faz-me lembrar o Michael Jackson a fazer o seu moonwalk

PPS: E não, eu não meti parágrafos. So sue me!

pub: