Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

1º Gundam montado!

Ago 11 13

Escrito por Luis Nabais @ 13/08/11 23:08 | 1 Comentário »

Demorou mas foi. Finalmente posso dizer que montei o meu primeiro Gundam (aquele que tinha comprado há praticamente um ano) e há que admitir: nem tudo correu ás mil maravilhas. É normal: sou um principiante.

Mas antes de mais nada e sem mais demoras aqui fica o resultado final:

GUNDAM ZZ - Modelo de frente

Modelo de frente


À primeira vista podem perceber logo duas coisas: a primeira é que eu aprendi que a minha Nikon D60 teima em usar o flash quando a coloco em modo macro e a segunda é que não tenho grande jeito para pinturas.

No entanto o que não dá para perceber pela foto é o grandessíssimo erro que eu cometi no inicio da construção e que basicamente me estragou parte do modelo. Uma parte engraçada destes modelos é que não precisam de cola. Sim, leram bem: é perfeitamente possível montar um Gunpla (os High Grade pelo menos) sem usar um pingo de cola e é igualmente desnecessário o uso de tinta.

GUNDAM ZZ - Core Fighter

Core Fighter

O que se passou é que comecei a montar com cola até que percebi que certas partes do modelo é suposto serem desmontadas mais tarde para transformar o Gundam ZZ em Core Fortress por exemplo e como consequência fiquei incapaz de mudar as posições das asas do Core Fighter. Não é nada de muito grave e mesmo assim dá para efectuar a transformação mas fica ligeiramente incorrecta.

Outra questão foi a das tintas. Apesar de não ser preciso pintar os modelos já que o plástico usado é de muita qualidade e vem em cores correctas existem por sua vez alguns detalhes que estão incompletos e que dá jeito ter um pincel fino para os resolver. Um exemplo é novamente o Core Fighter que supostamente tem um rebordo amarelo em volta da janela e que eu pura e simplesmente não consegui adicionar usando os Gundam Markers.

Outro problema é que os Gundam Markers são absolutamente gigantes em comparação com algumas das peças o que os torna bastante difíceis de utilizar para peças mais pequenas. O Core Fighter é novamente um excelente exemplo com o seu rebordo amarelo. A tinta também demora um pouco a secar, algo que me deixou com alguns problemas a tentar descobrir como segurar nas peças para dar uma camada de tinta uniforme e que me levou a borrar um pouco as primeiras tentativas (como é o caso da parte azul do Core Fighter).

GUNDAM ZZ - Close up

Close up

No entanto é exactamente na pintura que está uma das partes que acho mais engraçadas da construção de Gunplas e essa parte chama-se Inking. Inking é o processo pela qual se usa um marcador preto (ou cinza) muito fino para realçar as “linhas” do modelo e dar um ar mais próximo dos desenhos originais. Basicamente é uma forma de dar aos modelos de plástico um ar de desenho animado com traços carregados em vez de leves indentações nos modelos.

Estes retoques são especialmente visíveis nas partes mais claras do modelo mas estão presentes em virtualmente todas as peças expostas do modelo e não só dão o já mencionado aspecto mais próximo de um desenho animado ao modelo como também servem para esconder vários pontos de encaixe. O processo de os adicionar é também relativamente simples bastando pegar num Gundam Marker preto especifico para o efeito (e que custa cerca de 1,5€) e passar calmamente pelas linhas já previamente cravadas no modelo. Uma mão estável ajuda nestas situações mas não é necessária já que a tinta sai facilmente ao se passar com um dedo por cima rapidamente ou usando uma simples borracha branca.

É um pequeno e simples toque que transforma rapidamente o modelo em algo visualmente mais marcante e algo que recomendo vivamente. Limar e pintar os modelos é uma tarefa claramente opcional no caso dos Gunplas mas já no que toca ao Inking acho-o praticamente obrigatório para dar um aspecto mais vivo e interessante ao modelo.

GUNDAM ZZ - Close up dos boosters

Close up dos boosters

No fim acabei por não inventar muito e ficar-me pelos básicos nesta minha primeira tentativa mas ainda tive tempo para experimentar um pouco com os kits de weathering da Tamiya que mandei vir e o resultado é sem sombra de duvidas interessante. Na foto é capaz de não ser muito visível mas dei uma camada muito ligeira de Silver aos escapes de foguete na traseira do Gundam e estes ganharam um brilho que os diferencia imediatamente do simples cinzento do resto da “mochila” do modelo. Se calhar devia ter carregado um pouco mais para ser mais notório ou até aplica-lo a mais partes do modelo. Sem sombra de duvidas uma técnica muito simples que tenho de explorar mais para dar um pouco mais de vida aos modelos.

Mas nem só de pintura e acabamentos se trata a construção de um modelo e há uma outra fase que ocorre bem mais cedo na construção: o corte e aparar das peças. Eu entrei na construção do modelo com a ideia de lixar todas as peças mas depois de umas pequenas experiências acabei por perceber que não gostava tanto da cor mais baça que resultava desse processo e acabei por usar apenas a lima para remover os excessos de plástico na zona que ligava as peças e os respectivos sprues.

O resultado final não foi tão bom quanto esperava devido à natureza do plástico. Enquanto nas partes vermelhas e especialmente as brancas facilmente se conseguia limar até os pontos de junção se tornarem virtualmente invisíveis já nas cinzentas e especialmente nas azuis o processo é bastante moroso e complicado com pequenos pontos brancos a persistirem mesmo depois de muito limar. A solução seria lixar bem toda a peça logo de inicio e/ou aplicar uma camada de primário mas isso aumentava substancialmente o tempo necessário para concluir o modelo (só como nota demorei cerca de 16 horas do principio ao fim).

Por fim deixo-vos com o material que obtive para a construção do modelo (mesmo que tenha acabado por não o utilizar todo, em particular alguns dos Gundam Markers que ficam para outra ocasião):

Materiais para construir o Gundam

Materiais para construir o Gundam

Começando do canto superior esquerdo temos:

  • Kit Tamiya com pinça, X-Acto, Lima, alicate e chaves de fendas. – Os materiais são de muito boa qualidade e vale sem sombra de duvida os cerca de 12€ que custa.
  • Kit de Gundam Markers – versão Zeta – Estes kits possuem as cores base das diferentes séries Gundam bem como um mais pequeno para “weathering”. É possível utiliza-los para pintar as peças mas o resultado não é propriamente fantástico. São ferramentas brutas e não de precisão.
  • Gundam Marker para linhas preto e cinza – Os marcadores que utilizei para realçar as linhas do modelo. A ponta fina que possuem é apenas ligeiramente mais grossa do que a maioria das linhas o que permite seguir a linha com o marcador e no fim limpar o excesso com uma passagem do polegar.
  • Gundam Marker Eraser – Não é uma ferramenta essencial mas dá jeito. Basicamente é um “corrector” ou mais concretamente um diluente que permite retirar a tinta deixada pelos marcadores. Cuidado que pode destruir peças com detalhes pre-pintados (neste caso não existia nenhuma já agora).
  • Kit de lixas 400/600/100 – Kit de lixas de 3 graus. Dá jeito se quiserem limar as peças, algo que não fiz desta vez.
  • Kits de Weathering da Tamiya – Estes são os kits que mencionei para adicionar acabamentos ao modelo. Parecem caixas de rimel e funcionam praticamente da mesma forma: usa-se uma pequena esponja para esfregar no material e depois aplicar na peça. São simples de usar e não são muito caros (cerca de 5€ + portes na HLJ, uns 15€ se forem ao El Corte Inglês) pelo que são uma forma engraçada de dar um toque mais pessoal ao resultado final.

 

O Celica de testes

O Celica de testes

No fim gostei muito desta experiência. Comecei primeiro por montar um pequeno carro por sugestão do Joaquim do Gamer Exilado e quase que me passei dos carretos com alguns detalhes como os decals (que se estragaram virtualmente todos) ou algumas peças que demoravam séculos a colar e que tinham de ser seguradas durante largos minutos para não saírem do sitio (raios partam o espelho retrovisor!).

No fim o Gundam foi muito agradável de construir e deixou-me seriamente interessado no Hobby. Até já aproveitei uns saldos da HLJ para mandar vir mais dois modelos baratinhos para praticar (6€ cada um sensivelmente, o pior é os portes) pelo que a saga dos gunplas no meu blog certamente não se fica por aqui.

pub:

1 Comentário