Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Arrisquemos caraças!

Fev 11 16

Escrito por Luis Nabais @ 16/02/11 22:02 | 10 Comentários »

Foto de n.hewson, via Flickr

Foto de n.hewson via Flickr

Epah primeiro que tudo peço de antemão desculpas pelo tom um pouco mais acalorado da entrada que se segue neste meu pequeno espaço online.

PORRA, CARAÇAS! Já não posso mais com o raio da musica dos Deolinda e a mais recente tara dos media nacionais de apelidar a minha geração de “Geração à Rasca”.

Estamos “à rasca” com recibos verdes, estágios intermináveis e más perspectivas de emprego nas nossas áreas de eleição? Estamos sim para quase todas as áreas, isso é um facto. A culpa é nossa? Não, a culpa não é nossa. Vamos chorar e fazer beicinho até que os nossos paizinhos resolvam os problemas por nós? NÃO CARAÇAS!

Já chega de andarmos a passar a mensagem de que somos uns inúteis que só queremos Playstations e LCDs! Já chega de passar a mensagem que nos conformamos com empregos de trampa e estágios intermináveis que em tempos idos teriam sido apelidados de escravatura. BASTA!

Se somos jovens vamos mostrar as nossas qualidades. Se é entre os jovens que há mais idealismo então vamos participar activamente na vida politica do país. Vamos organizarmos-nos (criar até partidos novos se assim for necessário) e colocar a nossa marca no país.

Se é quando se é jovem que se tem de arriscar vamos usar a buzzword do momento, empreendedorismo, e motivar os nossos jovens a constituir as suas próprias empresas em vez de aceitar mais um trabalho de 3 meses a recibos verdes que mal dá para comer. Custa ter dinheiro para isso? Custa. Os apoios que há estão profundamente minados de condições irrealistas e/ou compadrios que os tornam inalcançáveis? Estão. O que podemos fazer? O mesmo que se faz há anos: bater a toda a santa porta com a nossa ideia. Seja aos vossos pais, tios e avós, aos vossos professores, amigos ou o gajo rico da aldeia e juntar o dinheiro à moda antiga. Bolas, até já se pode constituir uma empresa por 1€ querem mais o quê?

Vamos deixar de ser mais uma geração à espera do D. Sebastião e pegar o touro pelos cornos. ARRISQUEMOS CARAÇAS!

PS: e pronto, já tirei do peito o que tinha a dizer.

pub:

10 Comentários

  1. Anónimo

    16 de Fevereiro de 2011 ás 22:36

    a utilizar Safari 533.19.4 em Mac OS X 10.6.6

    “constituir uma empresa por 1€ querem mais o quê?”

    concordo com o resto do post, m usar isso como argumento é ridiculo! primeiro a retirada do capital social mínimo é absurda… isso só serve para criar mais empresas com dívidas que nunca serão saldadas aos fornecedores….
    mais ridiculo ainda é usar esse argumento e fazer de conta que não é preciso pagar mais nada…. a bolada que vai para a segurança social não conta??? é que é independente da facturação da empresa….

    Não me importo (obviamente) de pagar impostos… mas quero pagar impostos do que recebo… não quero pagar impostos quando não recebo… não quero ter de pagar a um contabilista tendo a hipotese de não facturar mas precisar de contabilidade organizada na mesma…

    sim, é preciso fazer frente à inércia e fazer de facto alguma coisa… mas o problema é que este país faz tudo menos incentivar ao “empreendorismo”… vamos é incentivar o uso de subsidios para tudo e para nada… viva o qren!

    • Luis Nabais

      16 de Fevereiro de 2011 ás 22:48

      a utilizar Mozilla Firefox 3.6.13 em Windows 7

      Tens toda a razão Anonimo, não queria com isto dizer que é por o capital social estar a 1€ que subitamente é fácil criar empresas: não é, nunca foi nem nunca será e em Portugal temos a agravante da mentalidade da subsidio-dependência com um acompanhamento de sobrecarga fiscal e de excesso de burocracia.

      Mas é este o ponto a quero chegar: é difícil sim mas não é parados a queixarmos-nos que vamos conseguir o sucesso. Só trabalhando e lutando contra o sistema quando necessário é que se consegue gerar riqueza. Há que ter iniciativa e vontade de trabalhar, não é só ficar parado a dizer mal caraças!

    • Anónimo

      16 de Fevereiro de 2011 ás 23:00

      a utilizar Safari 533.19.4 em Mac OS X 10.6.6

      indeed… pelo teu CV presumo que estejas quase a acabar o curso… tens de te lembrar deste post quando o acabares 😉

    • Luis Nabais

      16 de Fevereiro de 2011 ás 23:29

      a utilizar Mozilla Firefox 3.6.13 em Windows 7

      Sim, eu espero arriscar com uma empresa própria. Só tenho de acabar o produto (isso sim é complicado mas isso já é defeito meu).

  2. Phil

    16 de Fevereiro de 2011 ás 23:41

    a utilizar Google Chrome 9.0.597.102 em Mac OS X 10.6.6

    Apesar de ser um defensor da já famosa música dos Deolinda, não posso deixar de concordar em absoluto com o post.

    Sim, os nossos partidos e políticos têm destruído o país e não foi aproveitada a oportunidade que nos foi dada com a entrada na União Europeia, ou pelo menos, ficou muito por aproveitar.

    Tal como em 68 e nos anos que se seguiram, parece-me que está na altura das camadas mais jovens da sociedade mostrarem o que valem. Foi assim nesses anos quentes de finais dos anos 60 e início dos 70 e foi assim com a revolução no Egipto. Foram os jovens a fazer demonstração de força para mudar o que estava mesmo bem.

    Infelizmente, em Portugal instalou-se a cultura dos “paizinhos”, mas será uma bolha que vai estoirar no futuro e ainda vamos a tempo de mudar, mas se isso não acontecer, é o país que fica em causa. É um tema tabu…há receio em falar nele…muitos dirão que é demagogia, mas em Portugal usa-se e abusa-se da expressão “demagogia” quando se pretende colocar umas palas à frente dos olhos ou enfrentar os problemas fundamentais deste fantástico país.

    Bom…aqui fica o meu contributo para dar alguma força ao teu post!

  3. hugocardoso

    17 de Fevereiro de 2011 ás 01:21

    a utilizar Safari 533.19.4 em Mac OS X 10.6.6

    Claro que tens toda a razão! Como membro da geração rasca (diferente da tua que ainda és um jovem lol) também fui rotulado mas tal não me impediu de seguir em frente. 

    A mentalidade portuguesa é muito semelhante ao fado, com a constante lamentação aliada a uma inércia que chega a tornar-se deprimente. Felizmente existem vários exemplos de sucesso, que tendem a ser abafados pela própria comunicação social. 

    Mais do que nunca, esta geração tem a possibilidade de aceder a todo o tipo de informação através da internet e apesar de soar a cliché “informação é poder”. Resta aproveitar essa mais valia e potenciar a criatividade para termos resultados palpáveis.

    Sou optimista por natureza e concordo com o Phil, precisamos de um abanão sério para mudar este “chico-espertismo” que impera em Portugal. 

  4. Arzebiu

    17 de Fevereiro de 2011 ás 10:21

    a utilizar Google Chrome 9.0.597.98 em Windows XP

    Hey 🙂

    Eu ando a arriscar, e está a ser uma experiência engraçada. Concordo com o post por inteiro, mas queria só deixar uma nota: deixa-os falar, deixa-os por completo e concentra-te nas tuas coisas. Só isso é que interessa.

  5. José Mota

    19 de Março de 2011 ás 17:22

    a utilizar Mac OS X 10.6.6

    Ideal seria abolir o regime partidário. Nessa impossibilidade, faça-se um novo partido que não entre nos jogos dos atuais partidos.

    Eu entraria nisso. Objetivo principal: transparência. Falo por mim quando, das poucas vezes que olho para a TV, vejo conformismo e jogos políticos com bancos à mistura.

  6. Eurico Leite

    30 de Março de 2011 ás 00:07

    a utilizar Google Chrome 10.0.648.204 em Windows XP

    Não posso discordar daquilo que foi escrito e confesso que a música dos Deolinda também já me chateia.

    É verdade que é preciso arriscar se queremos efectivamente fazer alguma coisa, aceitamos trabalhamos precários, não porque a oferta é pouca mas sim porque já haviam meses sem encontrar alguma coisa.

    O medo de arriscar, pelo menos da minha parte, é dificil já que só costumo arriscar quando tenho todos os factos e a certeza que vai ser uma boa alternativa. Até lá ficas “com trela” e sofres com isso.

    Mas daqui a provavelmente 3/4 meses falamos melhor 😀