Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Geração do Vodka

Dez 07 30

Escrito por Luis Nabais @ 30/12/07 0:12 | 15 Comentários »

Ao longo dos tempos têm existido varias gerações ou seja, e de acordo com o Dicionario Online de Língua Portuguesa, “conjuntos dos indivíduos da mesma época” e todas essas gerações têm tido factores determinantes desde a injustamente intitulada “Geração Rasca” (Disclaimer: eu não suporto em nada esta designação já agora) até á geração que viveu o período de ditadura fascista sem esquecer todas as outras antes ou depois.

Mas não é do conceito de Gerações que venho aqui falar hoje, venho sim falar sobre aquela que será possivelmente a minha geração, as pessoas que se encontram hoje entre os 18 e os 22/23 anos que são aqueles com quem tenho mais contacto, uma geração que eu começo a apelidar de Geração Vodka.

Eu não bebo, quem me conhece sabe que não toco numa gota de álcool pura e exclusivamente por opção e em que é que isso resulta? Resulta em ver toda a gente sair e divertir-se bebendo shots, cervejas e sangrias até perder de vista. Vejo em muito gente a vontade de “tirar o curso para arranjar um bom tacho”, vejo a vontade de não querer fazer nada para além do obrigatório, alunos de engenharia informática que ao entrarem ficam surpresos com a palavra compilador, pessoas que entram em informática porque parecia giro (isto é a minha experiência) …

Vejo pessoas para quem a vida politica nacional é uma seca, para quem as grandes questões são decisões como saber se vão ao Loft ou ao Buddah Bar, malta que considera um risco demasiado grande sair do país apesar de constantemente concordarem que o país está mau…

Estarei a ser excessivamente pessimista? Muito provavelmente. Estarei integrado num universo desfasado da realidade do resto do país? Não me cheira mas é perfeitamente possível no entanto continuo assustado com o futuro do país ao ver que são cada vez menos as pessoas a quererem tomar as rédeas, a quererem ser alguém preferindo tornar-se apenas mais um elemento do sistema porque o contrario dá muito trabalho…

Tudo isto devido a quê? Devido aos comentários que surgiram quando um colega blogger disse o que sentia em relação ás viagens de finalistas dos estudantes de secundário. Devido a pessoas que preferem dizer, assassinando o português pelo caminho, que os outros se colocam num pedestal porque “não bebem” em vez de admitir que só vão para sítios como lloret del mar para beber (e provavelmente outras actividades de cariz sexual).

Mas pronto, eu sou certamente um quadrado que não se sabe divertir já que prefiro uma boa discussão sobre a crise do BCP ou uma simples ida ao cinema do que uma noite com má música em altos berros e shots suficientes para levar alguém ao grego…

PS: Olhando para o que escrevi aqui pareço mesmo um homem de 60 anos preso num corpo de 20…

pub:

15 Comentários

  1. antek

    não estás sozinho 😀 tenho vinte e penso da mesma forma que tu. Ontem aconteceu-em algo desta geração vodka como lhe chamas: colegas meu trocaram uma ia ao cinema por uma ida a uma discoteca num “barraco”, onde só se andava a grande custo, cheio de fumo e de musica de m*…

    Ao contrário de ti eu bebo, mas não mais que uma cerveja e muitas vezes nem álcool bebo 😀

  2. Marco

    Sou da geração a seguir, 25-35, e estou um pouco como tu, vejo esses sintomas na minha geração.

    Já na geração 15-18, as coisas estão muito piores, eles n se interessaão por nada, a não ser festas, e estar quieto.

  3. Alcides Fonseca

    Disclaimer: Não fumo, não bebo, não me vicio. E detesto fumo :/

    Era então presidente da Associação de Estudantes da minha escola e organizei a viagem de finalistas que por maioria foi para Lloret de Mar.

    Uns foram só embebedar-se o dia outro, outros juntavam ganza a isso, outros foram dormir fora de casa (acompanhados de espanholas, italianas, etc) outros foram fazer isto tudo e mais porcaria.

    Eu fui tomar conta deles (deixei-os fazer o que quisessem e depois arranjava os medicamentos quando ficavam mal dispostos ou doentes por não terem um pingo de cabeça).

    De volta a vida normal também preferem sair a noite para esses buracos. Ainda se vai ao cinema ver os blockbusters porque é, mas cultura decente, é para esquecer.

    E somos os dos 19 anos :/ Sinto-me um bocado mal entre tantos que “querem é aproveitar enquanto são jovens”… que raio de desculpa…

  4. jsilas

    óh dextro acertaste na mouxe é mesmo isso aquela parte do fim reflecte bem o que eu penso. Acho que beber naquela de beber como se costuma dizer é a coisa mais otaria que já vi, uma vez que as bebidas nem são baratas! Qual a desculpa solto-me quando estou bêbado!

    Com mentalidades destas nos jovens de certo que o país não vai longe, aos 30 está tudo mais que podre!

  5. Coder

    Bebo, fumo, tenho 20 anos, e gosto de ir a discotecas(embora a maior parte delas passe musica de merd*) Também gosto de ir ao cinema, adoro programar, ler o slashdot, estudar, ver tv, etc So what? Qual o problema em beber? O problema não é beber, eu por exemplo, de vez em quando apanho bebedeiras, e não é por casa disso que deixo de ter objectivos bem definidos na vida…

  6. Dextro

    Qual o problema em beber? O problema não é beber, eu por exemplo, de vez em quando apanho bebedeiras, e não é por casa disso que deixo de ter objectivos bem definidos na vida…

    Cada qual é como cada quem. Eu não disse que o problema era beber, eu disse que o problema era ver que cada vez mais há pessoas que só se preocupam em beber até cair para o lado e sair á noite descuidando completamente o futuro porque “ainda têm tempo”…

  7. PiP

    Já na geração 15-18, as coisas estão muito piores, eles n se interessaão por nada, a não ser festas, e estar quieto.

    Pois é! Chegou agora à faculdade a primeira leva da já chamada Geração Morangos e acredita, são bem piores. Não fazem ideia do que é trabalhar a sério para chegar a algum lado, são super infantis, não têm respeito algum pelos professores e não o escondem (não ter respeito por certos profs é normal, mas não chegando ao ponto de lhes dar a conhecer caricaturas obscenas deles e de por online joguinhos tipo Chuta Prof. X), que parece que têm o futuro assegurado e só pensam em borga.

    (Vamos lá ver se o código sai bem à primeira, que isto devia ter um preview, para as nabas como eu…)

  8. PiP

    Hum, o código saiu mal, claro… O que eu queria era citar o Marco:

    “Já na geração 15-18, as coisas estão muito piores, eles n se interessaão por nada, a não ser festas, e estar quieto.”

  9. Levi Figueira

    Bem… Concordo plenamente contigo! Eu bebo, mas sem exageros… A única vez que passei dos limites senti-me tão mal que jurei nunca mais! Por isso, não consigo compreender os que vivem para se embebedarem!

    Não percebo esta(s) geração(ões) sem limites, sem cultura, sem amor próprio, que procuram em tudo uma pinta de prazer momentâneo sem olhar o longo prazo…

    Tal como o Marco, estou nos 25-30 e vejo a coisa piorar nas gerações que se seguem… E vejo o contentamento desses mesmos a falar na Holanda como referência só porque lá é legal isto ou aquilo!

    Sinceramente, a ausência de valores não é de agora… Mas agora adiciona-se ausência de senso comum e até de coisas tão básicas como saúde, família, etc…

    Bom post Dextro! 🙂 Abraço

  10. Filipe

    “Watch your thoughts, for they become words.
    Watch your words, for they become actions.
    Watch your actions, for they become habits.
    Watch your habits, for they become character.
    Watch your character, for it becomes your destiny.”

    A tua vozinha interior, curiosamente de timbre, tom e altura iguais aos teus, está a debater racionalmente sobre a questão: pondera o facto que talvez não aproveitaste tão bem a vida como os outros que tanto desaprovas, para logo pensar «não, eles é que procedem mal» (o sistema psicológico é algo singular), ou «o inferno são os outros».

    O curioso é que todos fazemos isso. Bebamos ou não, todos sentimos uma vergonha interior porque nos parece que os outros divertirem-se mais que nós. Só tomamos diferentes atitudes, diferentes caminhos. Porém, não agarres a vida com demasiada força, pois ela acabará asfixiada, nem levianamente, pois ela acabará por fugir. Bebe um copinho, que não faz mal absolutamente nenhum!

  11. Dextro

    O curioso é que todos fazemos isso. Bebamos ou não, todos sentimos uma vergonha interior porque nos parece que os outros divertirem-se mais que nós. Só tomamos diferentes atitudes, diferentes caminhos. Porém, não agarres a vida com demasiada força, pois ela acabará asfixiada, nem levianamente, pois ela acabará por fugir.

    Sim, olha para mim todo triste porque não vou chegar aos 30 anos de idade sem fígado… Olha para mim triste porque tenho memorias de todas as saidas (de dia e de noite) em que participei ao contrario de algumas pessoas que me acompanhavam.

    Sim, porque beber até esquecer o que se está a passar é obviamente um sinal de que se está a divertir imenso… Uma pessoa diverte-se tanto que até quer esquecer obviamente…

    No meu post eu não queria transparecer a ideia de que beber é mau, queria sim passar a ideia que beber uma garrafa inteira de vodka, 5 ou 6 copos de cerveja e um Whiskey-Cola na mesma noite se calhar não é lá muito boa ideia (e é algo que infelizmente vejo acontecer repetidamente)…

    Mas eu não sou paizinho de ninguém portanto quem quiser continuar a destruir o seu corpo com excessos que o faça, só não me peçam a mim para o ignorar e deixar de me preocupar.

  12. Filipe

    Fazes desporto regularmente? Tens uma alimentação saudável, pouca carne e comes fruta e legumes todos os dias? Fazes exercícios de respiração abdominal, para melhorar a resposta do sistema imunitário? Tratas bem todas as pessoas da tua vida? Não julgas ninguém que não mereça ser julgado? És altruísta e voluntário em todas as situações? Vês, ninguém é perfeito.

    Se te começares a preocupar com o facto de o mundo não obedecer ao que tu achas que deveria ser perfeito, acabarás por nunca estar satisfeito, pois também não consegues moldar o mundo ao teu bel-prazer. Há crianças de 14 anos a fazerem orgias em festas, bebem cada vez mais cedo, tomam decisões estúpidas e irreflectidas, são malcriados para os professores. Costuma-se dizer ‘Stop trying to fix others’.

    Por isso, embora o texto que escreveste esteja repleto de razão, tem a desvantagem de só te irritar a ti e outros que pensam da mesma forma. A chave da vida é mesmo a moderação. Cada um aprende isso à sua custa.

  13. saunde

    Infelizmente este post reflecte a realidade da nossa sociedade… e pelo que venho a observar com tendência piorar ainda…

    Não sei onde isto vai parar…