Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Em Resposta

Jun 07 19

Escrito por Luis Nabais @ 19/06/07 11:06 | 15 Comentários »

Em resposta ao comentario do AlfmaniaK no post Literacia Proprietária:

AlfmaniaK:
Enfim…
Embora seja uma observação legítima, é de considerar com pena que o pessoal continue a achar que sair do país é a solução. Medida egoísta?

Sim é egoísta mas eu nunca disse que não o sou. Sou altamente individualista e como tal prefiro fazer aquilo que é melhor para mim. Se eu estivesse em posição de melhorar o meu país até o faria mas como digo muitas vezes para quem me conhece: eu até gostava de ser politico e melhorar o meu país mas sou demasiado honesto.

AlfmaniaK:
Por uma questão de orgulho nacional, não consigo pactuar com essa posição. Ou no Euro 2004 também era contra as bandeirinhas? Fica a nota que foi das melhores manobras de publicidade engendrada por um tuga. Mas alguém reparou?

Já leu a lei no que toca á bandeira nacional? Se não leu sugiro que leia e tenha noção de quantas pessoas a violaram com essa brincadeira. É que ao contrario do que as pessoas pensam a Bandeira Nacional deve ser tratada com respeito, coisa que não aconteceu durante o Euro 2004.

Passo até a transcrever aqui uma pequena parte da lei referente a esse símbolo:

Decreto-Lei n.º 150/87, de 30 de Março

(…)
Artigo 6.º

1 – A Bandeira Nacional deverá permanecer hasteada entre as 9 horas e o pôr do Sol.

2 – Quando a Bandeira Nacional permanecer hasteada durante a noite, deverá, sempre que possível, ser iluminada por meio de projectores.
(…)
Artigo 10.º

Em actos públicos a Bandeira Nacional, quando não se apresente hasteada, poderá ser suspensa em lugar honroso e bem destacado, mas nunca usada como decoração, revestimento ou com qualquer finalidade que possa afectar o respeito que lhe é devido.

Fonte: Lei referente á Bandeira Nacional no Portal do Governo.

E não se esqueça que o orgulho nacional cego já levou a muitas guerras por esse mundo fora e até já provocou a instauração de uma Republica instável no nosso país que acabou por levar a quase meia década de ditadura Salazarista.

AlfmaniaK:
E sejamos pragmáticos, que outro OS é mais indicado para fomentar as novas TIC num país de “coitadinhos”. Observe-se o Brasil e a sua política open source que só serviu para fomentar a pirataria… enfim. Nada é fácil. Nada.

Não entre por aí que claramente não sabe o que está a dizer. A pirataria surge sempre que um povo não dispõe de capacidade económica para comprar os produtos de software que necessita. É uma realidade da natureza humana e quem a nega anda certamente a iludir-se. Ligar o Open Source á pirataria é um insulto a todos aqueles que acreditam que é imoral cobrar por pedaços de bits que custam virtualmente 0 a reproduzir.

AlfmaniaK:
PS.: O Windows Live Messenger não substitui o windows messenger. Este é a aplicação de chat do OS Windows, requerido para, entre outras funcionalidades, assistência remota.

Nota-se que claramente não utilizou o Windows Vista.

AlfmaniaK:
PS.: O erro em que pede o IE6 SP1, no caso de outros browsers… enfim, no caso do novo IE7, pode ser um “bug” em que o qual não é reconhecido pelo script da página. Uma falha grave, sem dúvida… mas explicada.

Eu uso Linux e o Mozilla Firefox, sou menos português do que os outros? Tenho menos direitos do que os outros só porque decidi não pagar 200€ por um Sistema Operativo que não me oferece nada a mais do que oferece este que uso?

E agora deixo a minha nota contra nacionalismos cegos. Não sou nenhum anarquista nem nenhum comunista mas sou contra os ideais actuais de nacionalismo. Não me considero Português, prefiro considerar-me Europeu e planear a minha vida tendo em linha de conta todo o espaço da União Europeia já que tenho essa possibilidade e como tal compreendo os prós e contras deste pedaço de terra á beira mar plantado.

Por um lado é um país que considero dos mais bonitos que visitei até hoje, calmo, sem graves problemas de insegurança, ao contrario do que muitas vezes é dado a entender, e com a minha cidade de Lisboa onde cresci, cidade essa que aprendi a amar. Mas por outro lado não posso deixar de lado os anos de uso inadequado dos fundos comunitários e de más politicas em virtualmente todas as áreas de governação que deixaram este país na cauda da Europa dos 15 e a caminhar para se manter nessa posição na Europa dos 25.

Seria possível inverter essa tendência? Certamente que sim. Tenho o dever de participar activamente nesse processo? Se me sentisse com capacidades para o fazer faria-o com gosto mas num país onde todos os políticos chegam aos seus cargos por cunha de x e de y enganando a população votante com promessas vagas de “choques tecnológicos” é pura e simplesmente mais atraente pegar nas malas e partir para outras paragens onde uma pessoa se sinta mais motivada para perseguir o seu desenvolvimento pessoal. Uma pessoa até pode ser a pessoa mais inteligente do mundo mas se crescer no meio da Selva Amazónica essa inteligência não vai servir de muito.

PS: Deixo para outra ocasião a refutação da acusação de que o Software Livre fomenta a pirataria.

pub:

15 Comentários

  1. Mario Andrade

    Bom das duas uma, o que escolhes, seres solidário com os teus patriotas, mostrares que tens orgulho no país e que acreditas na sua capacidade ou cumprir a lei?

    O pedido de colocar as bandeiras na janela foi um acto patriótico. Vai-se punir alguém por isso? Alguma vez o povo português foi tão patriota, unido e solidário em relação a algo nacional?

  2. Mario Andrade

    Quanto ao assunto do Open Source e pirataria deixo-me fodido. Gostava de saber com que informação é que ele se baseou para me chamar de coitadinho.

    Eu trabalho com essas TICS e é regular recorrer a open source ou freeware por ser menos dispendioso e não é por isso que não deixo de produzir e desenvolver.
    Em Portugal só é coitadinho quem quer não venham com tretas.

    Não comparem o Brasil com Portugal. O índice de pobreza é muito maior no Brasil que em Portugal assim como a lei não é tão rigorosa como é característica em toda a América do Sul.

  3. Mario Andrade

    Quanto á tua nota contra nacionalismos cegos, espero que tenhas escrito a pensar no PNR.
    Qual é a tua visão dos actuais padrões de nacionalismo? Ver um português com orgulho nas cores da sua bandeira? Apoiar atletas que alcançam grandes desempenhos desportivos?

    Só para te recordar, lembraste dos problemas que houveram em Inglaterra em relação a apoiar os EUA no Iraque? Causaram problemas políticos. Lembras-te em França que houveram problemas que andavam pessoas a incendiar carros pelas ruas fora? Foram problemas políticos. Lembras-te da Alemanha na 2ª guerra mundial? Foram problemas políticos. Lembras-te da URSS e das guerras da bósnia e por aí fora? Foram problemas políticos.

    Itália também os tem, Suécia, Noruega, Finlândia também os têm e conheço pessoalmente quem lá está. Sabes que na escandinavia há um serio problema com o desemprego?

    Sabes que o modelo do sistema de saúde dos EUA é pior que o Português? Lá se partes algum osso são meses de salário para pagar as contas hospitalares.

    Eu até tenho uma mentalidade europeia, ir para o estrangeiro estudar ou mesmo trabalhar é sem dúvida experiência que quero ter. Mas sem dúvida que voltava a Portugal um dia mais tarde para voltar cá a viver.

    Só falta dizeres que concordas com os cartazes que dizem “A 2 anos de lado nenhum” quando o Sócrates o provavelmente o primeiro ministro que mais se mexeu e mais coisas fez por Portugal. Tanto que pelos vistos a UE vem cá buscar os melhores para a liderarem.

  4. Margarida

    Gostei bastante do teu post Dextro, falas muito bem! e não sabia isso da bandeira, mas já fiquei a saber 🙂 (nunca a pendurei, e acho que também não tenho nenhuma –‘)

    Eu se conseguir, vou para fora, mas pronto, temos cá familia e amigos, e tamos habituados a viver cá, só isso é que custa.

  5. Dextro

    Sim estava a mencionar partidos como o PNR.

    Vou cumprir a lei porque cumpro as leis de um país e ainda por cima aquele em que vivo, se algum cromo (nomeadamente um cromo brasileiro que parece ser seleccionador de uma selecção que não apoio) me vem á TV pedir para a malta pendurar bandeiras nas janelas eu não o vou fazer primeiro porque é desrespeitante para a bandeira nacional (na minha opinião) e segundo porque defendo que as selecções devem demonstrar o melhor de um país logo acho que inclusive os treinadores deviam ser nacionais.

    Por outro lado apoio as selecções de muitas outras modalidades onde se continua a mostrar boa figura por parte dos portugueses mas é como eu digo: nunca escolhi ser português, nasci assim e quanto muito tenho de viver com isso.

    E os EUA não são exemplo para coisa alguma. Se não era passa a ser publico a minha falta de apreço por esse país.

    Quanto ao Sócrates só digo: não gosto da forma como este Primeiro Ministro fala ao publico. Ele pura e simplesmente não sabe falar, tudo o que diz é ensaiado e sempre que lhe é feita uma pergunta para a qual a equipa de Relações Publicas não tem resposta ele pura e simplesmente recusa-se a responder. Isto a mim só transpira uma coisa: falsidade, e de pessoas falsas estou eu cheio.

    No entanto tenho de admitir que depois dos últimos 3 governos que o país teve fazer pior é muito difícil.

  6. AlfmaniaK

    Ena pá! Um comentário com direito e citação e resposta. Fico sensibilizado.
    Fora as justificações desnecessárias, subscrevo o Mário e sublinho o “coitadinhos” (entre aspas entenda-se) que, claramente, se aplica a quem liga um PC e se não estiver lá o logo da micro$ofre assusta-se…

    Caro Dextro, de tudo o que escreveu (mais uma vez legítimo, claro!) só recordo a última frase, a qual prefiro ler com outros olhos: “Em terra de cegos, quem tem olho é rei”, e que se faça o duo dos provérbios: “o mais cego é aquele que não quer ver”… em que ficamos? Egoísmo ou receio de não estar à altura de vencer em Portugal?

    Já agora, isso do PNR… não vale a pena fazer caso. Com o pessoal a pensar em ir para fora produzir, nem esses se safam.
    Cumps.

    …foi uma boa resposta. Obrigado pelo protagonismo. 😆

  7. Dextro

    Caro Dextro, de tudo o que escreveu (mais uma vez legítimo, claro!) só recordo a última frase, a qual prefiro ler com outros olhos: “Em terra de cegos, quem tem olho é rei”, e que se faça o duo dos provérbios: “o mais cego é aquele que não quer ver”… em que ficamos? Egoísmo ou receio de não estar à altura de vencer em Portugal?

    Ultima vez que fui ao oftalmologista não me foi diagnosticada cegueira curiosamente… :roll:

    Eu não tenho qualquer receios de não vencer em Portugal mas por outro lado gostava de vir a ter uma vida que me satisfaça e não uma com que sobreviva (como o país promete hoje em dia).

    Cada um é livre de fazer o que bem entende, não só estamos num estado democrático como estamos inseridos numa união de vários estados todos eles com iguais liberdades. Desde que uma pessoa cumpra as leis do pais onde se encontra tem toda a legitimidade para fazer o que bem entende.

  8. hugocardoso

    Todos têm direito à opinião e embora me identifique com o Dextro, não vou criticar o que foi dito pelo AlfmaniaK. Não considero querer sair do país um sinónimo de “medo de estar à altura de vendcer em Portugal”, mas sim ambição. É perfeitamente natural querer mais e se tal envolver deixar este cantinho à beira mar plantado pois muito bem. Independentemente das críticas, será sempre o nosso país mas não significa que não possa melhorar. Um blog serve mesmo para isso não é Dextro? 😀

  9. AlfmaniaK

    Hugo, o que se me oferece dizer é que o teu argumento tem relevo. Porque uma coisa é ser ambicioso e querer apostar em voos mais altos e, em última análise, melhores, outra é dizer que o país não presta e fazer disso justificação para emigrar…

    De desculpas está este país cheio. Dextro, se queres sair do país para algo “em teoria” melhor, força! Mas perspectiva-te para cima. Não olhes para as tuas bases de cima para baixo. Além de não valer a pena só contribui para esse estigma de um Portugal atrasado.
    Recomenda-se a leitura de coisas bonitas, não para convencer coisa nenhuma, mas para ver que Portugal não é tão mau como alguns insistem pintar:

    Portugal vale a pena
    Nicolau Santos

    O Nosso Portfolio
    Um blog interessante!

  10. Dextro

    De desculpas está este país cheio. Dextro, se queres sair do país para algo “em teoria” melhor, força! Mas perspectiva-te para cima. Não olhes para as tuas bases de cima para baixo. Além de não valer a pena só contribui para esse estigma de um Portugal atrasado.

    E de papagaios a falar muito e a fazer pouco também está o país cheio. Se acredita assim tanto que o país pode melhorar trabalhe para isso. Eu acredito que sim, pode melhorar mas para isso temos de deitar fora toda a classe politica e tenho pena que não tenha entendido isso no meu comentário.

  11. AlfmaniaK

    …é! Não vale a pena. Haja paciência.
    De gajo que “claramente não usa Windows Vista”:lol: para “papagaio” foi tão rápido, o melhor é ficar-me por aqui e convidá-lo a ir para o estrangeiro.

    Boa viagem.

  12. Dextro

    …é. Para “papagaio” que nem lê correctamente a língua materna do país que tão afincadamente defende convido-o a pensar antes de falar.

  13. AlfmaniaK

    Tu és muito estranho… muito estranho mesmo.
    Só uma pergunta: Se não acreditas no teu país, com que credibilidade vais lá para fora apresentar a tua formação? Será que vais esquecer o que aqui comentas, ou vais admitir que tens formação assim e assado mas, que convém dar o benefício da dúvida porque a política da educação portuguesa é pobre e infeliz?

    Nova vertente: além de egoísmo e receio de vencer em Portugal, agora antevejo alguma hipocrisia!
    Manda a resposta.

    P.S.: Essa do não lê correctamente terás que ser mais específico, porque escapou-me a chamada de atenção, afinal o que é que não percebi? Que tens vergonha do país e não acreditas da classe política, ou que o “papagaio” era para mim?

  14. Dextro

    Só uma pergunta: Se não acreditas no teu país, com que credibilidade vais lá para fora apresentar a tua formação? Será que vais esquecer o que aqui comentas, ou vais admitir que tens formação assim e assado mas, que convém dar o benefício da dúvida porque a política da educação portuguesa é pobre e infeliz?

    Curiosamente tive o prazer de viver na pele algumas das reformas da educação portuguesa nomeadamente a mudança dos 50 para os 90 minutos de aulas tanto no ensino básico como no secundário logo sei as mudanças (para pior) que foram efectuadas nos últimos anos no nosso sistema educativo e este novo programa das “Novas Oportunidades” tem demonstrado politicas que sou incapaz de adjectivar.

    Quanto a questão do não saber ler é muito simples: eu conclui pelo seu comentário que nunca utilizou o ultimo produto da Microsoft (Windows Vista) para alegar que o Windows Messenger é o cliente de mensagens instantâneas por defeito no sistema já que o sistema não só não dispõe do mesmo como também remete as pessoas para a instalação do Windows Live Messenger tal como eu referi. No entanto é claro que uma opinião pouco informada como aquela que demonstrou é muito mais valida do que a minha.

    Mas eu estou definitivamente a ficar cansado de me justificar a alguém a quem não vejo qualquer direito de me pedir justificações.