Introduza o termo a pesquisar e clique Enter.

Abortemos irmãos

Nov 06 16

Escrito por Luis Nabais @ 16/11/06 1:11 | 6 Comentários »

Com o referendo cada vez mais próximo e com a discussão a começar timidamente a abrir caminho por entre os jornais e telejornais achei por bem tentar passar por aqui as minhas modestas opiniões de rapaz de 19 anos sobre este assunto que tanta discussão promete: o referendo sobre a despenalização do aborto.

Denotem desde já e antes de continuarem a ler para adiante que eu reforcei a ideia de despenalização ao contrario do que um certo e determinado partido (leia-se CDS/PP) que teimava em tentar mudar a palavra de despenalização para liberalização subtilmente abrindo o caminho para uma manipulação de ideias que, na minha opinião, deve ser evitada a todo o custo!

Mas voltando então ao assunto em questão e passando então à minha opinião pessoal sobre a despenalização do aborto no nosso pais: sou totalmente a favor e se há algo porque peca esta medida é por ser demasiado tardia. Mas passemos então aos argumentos:

Sou a favor da despenalização porque reduz o risco que as actuais praticantes dessa pratica incorrem quando recorrem a parteiras e médicos mal-intencionados e gananciosos que efectuam esta pratica em vãos de escadas deixando centenas (se não milhares) de mulheres em sério risco de vida.

Sou a favor da despenalização do aborto porque depois estas mesmas mulheres que se vejam forçadas a efectua-lo poderão fazê-lo em segurança seja em clínicas e hospitais privados seja em hospitais públicos (não que eu defenda que estes os devam fazer mas já ai vamos).

Sou a favor porque prefiro que se aborte do que se traga uma criança para um mundo ou não vai conhecer o amor de uma mãe ao ser abandonada, a um mundo onde não vai conhecer um dos seus pais, a um mundo onde conhece os pais mas estes não têm dinheiro para a suportar, a um mundo onde é vitima de maus tratos…

Sou a favor porque a despenalização do aborto deixará de levar mulheres a julgamentos pelo crime de “aborto”. Sou a favor porque esses mesmos julgamentos deixam de ter julgamentos paralelos em praça publica.

Sou a favor da despenalização porque não deixo que misturem o direito à vida com a despenalização do aborto visto que tal não está aqui em discussão: uma pessoa pode ser completamente contra o aborto e mesmo assim ser a favor da sua despenalização por todas as razões que eu citei acima.

E por fim quero dizer que não sou a favor do aborto mas também não sou a favor do mesmo e que apenas me pronuncio sobre a sua despenalização porque, não sendo eu uma mulher ou um medico, não considero que seja meu direito sequer ter uma opinião sobre esse acto que jamais em circunstancia alguma virei a sequer necessitar de efectuar pessoalmente. Não me afecta a mim directamente por isso terei meramente de respeitar as opiniões e e apoiar as acções das mulheres que o efectuem (ou não).

Vou deixar também a minha opinião já que acho que o serviço nacional de saúde não deveria ter a obrigação de efectuar os abortos a toda a gente pois acho que isso seria, à semelhança do que foi a pílula do dia seguinte, uma forma “fácil” dos casais mais novos ignorarem por completo a contracepção tradicional em prol de um aborto rápido no centro de saúde ali da esquina mas também já ouvi razões mais que suficientes para o serviço nacional de saúde os efectuar e a principal delas é que todas as minhas outras razões se tornariam fúteis no momento em que o estado não oferecesse o “serviço” já que levaria novamente à situação do vão de escada ou das crianças sem pais para aquelas pessoas que não têm dinheiro para resolver a sua situação. É uma situação delicada cuja única solução real será a sensibilização dos jovens para os malefícios da pratica de sexo inseguro.

E por fim a minha opinião sobre o próprio referendo é que acho que se este ganhar será por uma margem bastante reduzida pelo que valores do estilo 60% a favor não me surpreenderiam em nada porque apesar de todos os avanços nos últimos anos Portugal continua a ser um país com muitas diferenças entre o litoral e o interior e não são meramente económicas como também sociais, e mais importante que tudo neste caso, a nível de mentalidades. É triste mas é o país em que vivemos e tudo o que pudemos fazer é dar o nosso contributo para que dia após dia esse fosso vá decrescendo.

PS: Para todos os estudantes do IST que me lêem passem pelo blog da lista O se puderem.

pub:

6 Comentários

  1. Dextro

    CUIDADO: Estamos aqui apenas a falar da despenalização do aborto (da qual sou totalmente a favor) e não do aborto em si (sobre o qual tenho algumas reticencias)

  2. Assunção Mendes

    embora nao sabendo km es nao pude deixar de comentar…concordo plenamente contigo pois cada vez mais os direitos das mulheres estao a ser restringidos…esta mais k na hora de se tomar uma atitude correcta em relação a despenalização do aborto embora em nao esteja totalmente de acordo com o aborto (pondero somente alguns casos como violaçoes, impossibilidades económicas para sustentar o filho pois cada criança k vem ao mundo tem direito e ser feliz tendo o amor dos mais e estabilidade economica) ❗

  3. Cláudio Franco

    Da mesma forma que os do NÃO querem condenar aqueles que preferem não ter os filhos pelas suas razões, deviam também condenar aqueles que se atreveram a darem à luz crianças que terão anos de sofrimento sem amor, uma casa decente e respeito.

    SIM porque o número não vai aumentar.
    SIM porque as mulheres não sonham em abortar um dia, mas porque estão desesperadas.
    SIM por respeito ás mulheres.
    SIM porque um feto fruto de uma violação não é menos HUMANO do que um fruto de um acidente/azar.